terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Mãe

A flor + simples, como era o seu viver.
O maior encantamento que em seus olhos pude ver.
O brilho do amor...












À minha mãe

Hoje eu te ofereço o meu trabalho
O meu cansaço
E a minha alegria.

Hoje eu te ofereço a mais bela flor
O melhor vinho
Teu doce predileto.

Hoje, especialmente, hoje...
Renovo nossos laços de afeto.

k.

Feliz aniversário, feliz dia em que fui escolhida para ser tua filha.

10/05/2008

O amor

O amor não se explica, acontece e vem de mansinho. Toma conta da alma e nos aprisiona. É maior que as tormentas, é puro, não aceita mentiras ou meias-verdades, não se acomoda, trabalha. É partícipe da condição humana, sainda da esfera individual.

Atravessa fronteiras, busca o bem-estar, a paz, a elevação d'alma em propósitos na união dos seres. Dele brotam caminhos, transformação, delicadezas, filhos amados na certeza de sua continuidade, visto que é eterno e não pode parar.

Onde há amor genuíno, há luz, muita luz, não há treva que se achegue, pois os raios penetrantes, fortes, alvissareiros a diluem, numa mágica que transcende a nossa compreensão.

Ao homem resta compreender o poder desta mágica, embora o estranhamento e o desconforto, pois mal sabe o que fazer com tal mansidão.

A paz do amor sopra como a brisa da manhã perfumando os cabelos, esparramando os fios, um a um, num grande tecido. E os olhos calmos, agradecidos, absorvem as benesses, filtrando os elementos que chegam às fibras mais íntimas do ser.

Tão perto, tão necessário. Ai daquele encoberto, ai daquele indiferente! Não comunga o que de melhor há e que ainda podemos provar neste Planeta de Regeneração, no sopro sutil da vida.

O teu mestre te ensina, o teu mestre compartilha. É uma prece, vento suave, bate na testa, desce pelo rosto, espraia-se nas espáduas e em teu corpo se aloja, as pernas alonga, repousa nos pés.

"Beija e contempla a face do amor. Beija e contempla do ato o Criador."

... Sou só ternura, sou afeto. O seu gesto em manhã de rosa-pálido. Olhe para o céu e verá a imensidão deste dia, quando descer a noite a primeira estrela testemunhará a teu favor, fria, distante, mas não errante...

Só(u) amor....

k.t.n.

Tela

Esvaziei a minha tela
Joguei-te de encontro à parede.
Expulsei-te com teus demônios
A enredar-te em próprias teias.

Disfarcei, tremi, sofri.
Dei-te um fim.
Apartei-te de mim.

Lancei-te ao vento, em conjecturas mornas.
Bueiro adentro, junto às baratas mortas.
Execrei-te, bati, fervi.
Cozinhei em fogo brando, sem lavar.
Só cosi!!

Agora o inevitável - pesar
Junto às tuas lágrimas, teu penar.

Minha tela ficou livre, esvaziada, firme e forte.
Pregada, estampada, ajeitada,
Caprichada, imbatível, intocável,
Lavada, perfumada, impermeável.

Só figura o capricho
Sem tuas mãos, sem carrapichos
Tem odor, perfume e cor...
Tem laranja, ocre, sabor...
Sem a luz fingida e rubra,
Ondeando, tateando, beliscando.

É vazia, é Clarice, tem meiguice.
Olhos tristes trocados por faróis.
Enormes seios vertem leite
Gota a gota, fio a fio...
Afundaram o teu navio

Minha tela... é vazia..,.
Minha tela... todo dia...
É tão bela, arrepia!

k.t.n.

O Sol e a Canção

Eu te dou o Sol, porque não pude te dar a Lua

Eu te dou o
Sol, porque não posso estar em fases suas...

Eu te dou o Sol, porque ele descobre o inatingível...

Desvenda os sortilégios, o incontável, o imprevisível...

Quisera, eu , dar a Lua.. mas ESTA
é bordada, prateada em firmamentos,

Esta é de poetas, fingidores de sentimentos...

Fica com o Sol... não queima, não destrói... é vida em raios penetrantes...

É amor que não se conta... é esfera em raios tantos... é verão em maio errante...

k.




Espero a sua
canção, meu amor...

A sua canção angustiante...

a sua canção palpitante...

a sua canção de nós dois...


16/04/2008
Nossa história se divide

Entre fim e começo...

Entre laço e firmamento.

Entre espera e contentamento.


Nossa história é assim

É história de nós dois..

De um trato renitente.

De amantes penitentes.

Sem razões e sem ter fim.

Tua espera de mim é o início.

Minha espera de ti é a face do avesso.

Nossas mãos unidas é um grande recomeço.

Nossos pensamentos atingidos

É beleza premeditada pelos céus em copos guardados.

Nossas tristezas em alegrias se transmudam em fantasias.

Em sonhos em grandes folias...

Ai, quem dera melancolia...

Ah, quem dera a tarde fria!!!

Bjs no seu coração...

Meu visitante,,, amante errante...


k.t.n.


O Sol me ilumina e me aquece
No horizonte, nenhuma luz padece
Eis que em prece a Natureza conspira
E me inspira e transpira e anima.
kisses.




Langor

Um sonho velado
Uma menina relaxada
Um anjo em bom cuidado
Um amor ausente em sonhos

Um ficar mais que ficar
Entre sonhos um buscar
Entre idéias enfim, alcançar
O profundo do teu mar

Teus segredos, segredar
Relaxar, repousar e tranqüila
Despertar entre nós
Em desalinhos
Teus botões, tuas cortinas
Teu amor em pequeninas
Gotas de poemas
A preencher as penas.
***
Hoje estou assim:
Serena, calma em paz gozante
Serena d'alma anunciante
De paz maior, das novas eras
De um trato em flor, novas quimeras.

Hoje estou assim:
Menina e mulher
Donzela e meretriz
Estou assim, assim de mim...

k.t.n

Em reconstrução...

Hoje estou assim:
Largada em minha cama
Em meus pensamentos
Compondo um novo poema

Centrada em mim mesma
Ocupada de mim
Qualquer coisa assim
Que te digas enfim.

Um trato bem trato
Um retrato amado
Um cabelo esparramado
Um ator ocupado.

Hoje estou assim:

Em completo desalinho
Em bagunças arrumadas
Do meu cérebro descansado.

Do meu cheiro em meu guardado
Dos meus hostes o meu cuidado
Das paredes mal pintadas
A tua sombra projetada.

Assim estou:
Largada em cobertas
Descobertas indiscretas
Favor, langor, torpor...
Ah, quem dera...
Ah, que fosse
Ah, que esfera
Ah, teu gosto!!

Hj estou assim;
Assim, assim assim,
Ocupada, desarrumada de mim.

I love me!!!
Don't cry for me!!

13/04/2008

Presente da Cecé

Kátia__Kátia
___________Kátia ღღKátia
___________Kátia ღღKáti
____________Kátia ღღKátia ღ
________Kátia ღღKátia ღღKáti
________Kátia ღღKátia ღღKáti
________Kátia ღღKátia ღღKáti
____________Kátia ღღKáti_____Kátia ღღK
___________Kátia ღღKátia __Kátia ღღKátia ღღ
____________Kátia_Kátia __Kátia ღღKátia ღ
_____________Kát____Ká___Kátia ღღKátia
___________________Ká__Kát_Kátia ღღK
__________________Ká_Ká
_Káti_____________Kát
_Kátia ღღK_______Ká
__Kátia ღღKá_____Ká
__Kátia ღღKát___Ká
___Kátia ღღKá___Ká
_____Kátia ღღ__Ká
________Kátia__Ká
____________Ká_Ká
_____________K_Ká
______________Kát


Especial da minha amiga Célia...

______ღஐღ Ka____O____O____ღஐღ Ka
____ღஐღ Katia___OO__OO___ღஐღ Katia
___ღஐღ Katiaღஐღ__O__O__ღஐღ Katiaღஐღ
___ღஐღ Katiaღஐღ___OO___ღஐღ Katiaღஐღ
____ღஐღ Katiaღஐღ__OO__ღஐღ Katiaღஐღ
____ღஐღ Katiaღஐღ _OO_ღஐღ Katiaღஐღ
_______ღஐღ Katiaღ_OO_ღஐღ Katiaღ
______ღஐღ Katiaღஐ_OO_ღஐღ Katiaღஐ
____ღஐღ Katiaღஐღ _OO_ღஐღ Katiaღஐღ
___ღஐღ Katiaღஐღ K_OO_ღஐღ Katiaღஐღ
____ღஐღ Katiaღஐღ _OO_ღஐღ Katiaღஐღ
______ღஐღ Katiaღஐ____ღஐღ Katiaღஐ
________ღஐღ Kati______ღஐღ Kati
__________ღஐღ __________ღஐღ
___________ღஐ____________ღஐ

06/04/2008

Á Cecé ...

Hj a Célia estava assim:

Deitada em sonhos.
Lençóis em desalinho,
A sonhar e a brincar.
Pensamentos a bailar,
A girar em firmamentos,
Em espaços, desejos tantos.

Hj a Célia estava assim:
A se firmar e a se encontrar
A se encontrar e a descansar.
A desejar além do mar,
Um algo mais a se amar!!


13/04/2008

Para Vácuo ...

p/ vácuo

Já soltaste,
No meu canto poético,
Seu grito epiléptico

Enroscado na garganta
Com a língua presa entre-dentes
Sem espuma sem baba


Dissolvendo o meu tédio.

E tenho dito!!

04/04/2008

k.t.n.

eu te ofereço
a amarga-rida
toda de rosa
cheia de prosa
em verso em flor

08/04/2008

hipotético?
real?
O que é real?
O que é?
O quê?
O
o
.







hipopôtamo hipotético...
só uma hipótese sem tese.
coelinho é biito
outro bixo esquisito
é o grilo quando pula
qual eskilo pela grama...


09/04/2008






não vou te oferecer
uma amarga-rida
te ofereço uma flor
cheia de vida
e uma rosa vermelha
lapidada, polida
pelo meu amor

beautiful....

rsrs...

k.

dio
dia
di
d
.

conheço vc?


.
o
e
eg
ego
o ego


¿anta?

onde anda a anta

ou

ontem anta ante
anteparo sem reparo
anta anta anta
poesia é poesia
não precisa se explicar
não precisa se nomear
batizada já vem

não encanta + de cem
mas ninguém é sem

estão todos nela
aproveitam-se nas ruelas
a comer em mortadelas
nossos versos mais¿pinguelas?
a dizer o nome delas.

poesia sempre bela
poesia sim singela
poesia olha ela
a espreitá lá na janela.

não gostou?
requenta o macarrão.

bjs. fui. sem inspiração. muito trabalho. poesia por viver.

k.t.n.

e pt.


dio!!!
dia
duro...

dio !!!
todo dia
dureza.

dia,
dia,
vida,
ida.

sem volta
revolta.
transtorna.

sem forma.
disforme
conforme
o nome.

dio, dia, dia. dio.
deu branco....cante
encante
espante

02/06/2008


mie, pie...

lata, parta a prata.

k.t.n. ocaso
..caso
.....so
.......o
.........

...loco
...poco
....oco
......po
........o

09/07/08

sem.data
sen tada

a...matriz
e...motriz
a...forma
..amorf.a
de..baixo

do. nariz!
07/07/08


.kátia torres.:

dio!!!
dia
duro...

dio !!!
todo dia
dureza.

dia,
dia,
vida,
ida.

sem volta
revolta.
transtorna.

sem forma.
disforme
conforme
o nome.

dio, dia, dia. dio.
deu branco.
02/06/08





Natal ...

vc é a mulher guerreira
a amiga pr todas horas
a mulher faceira dengosa.......
a força poetica
que brilha em versos e trovas
um campo de mil verdes
que se preocupa em fazer alguem feliz!!!
essa é a katita a kátia ...
que faz dos meus dias um eterno natal!!!

te amo amiga!!!

27/03/2008

Obrigada, Many...!!

Justiça

Justiça!! O que é? O que será? Qual o parâmetro da tua vergonha? Qual o limite da verdade que te sonda? Justiça, imperfeita, maldita, estropiada pelas nossas dores, desavergonhada, em vãs favores.

Clamas por ela. Debate-tes em vão. Sai da janela. Arrisca-te ao portão.
A Justiça é de poucos, a justiça é de ninguém.
È historia da carochinha, que te contaram pequenininha... pobre cça, acreditou e neste mundo se danou....

Justiça?! De quem?
Nasça novamente, construa outro mundo e participará do banquete provisionado ao que é de direito e ficou guardado.

K.t.N.
18/03/2008

Lilás ...

LILÁS

O violeta de meus olhos

Por lágrimas clareado

Tanta foi a saudade.



Cristina Pilan Oliveira

Curiosidade// Torquato

A curiosidade grassa por toda parte. É uma desgraça infinda... é o livro da vida, é o livro principal em páginas menos originais... é algo antigo, que desbota e 'refolheia', onde não deveria estar,,, é algo sem graça,,, vira, vira,,, mais à frente a hora esperada ... chegada... chegada... chegada... sem partida... só idassssssss... vira, vira, vira... ¿ ? ENCONTROU?? ACHOU?/ ACHOU-SE?? VIRA, MAIS, MAIS,... SEM PRESSA... EIS O SEGREDO... ENCONTRE A PÁGINA CERTA, FAÇA A SUA MARCA, REGISTRE, ,,, ,,, ... ,,, ... ,,,

"Escute, meu chapa: um poeta não se faz com versos. É o risco, é estar sempre a perigo sem medo, é inventar o perigo e estar sempre recriando dificuldades pelo menos maiores, é destruir a linguagem e explodir com ela (...). Quem não se arrisca não pode berrar."

(Torquato Neto
)

Para no perder la ternura,,, jamás....

¿Dónde está Torquato?
Dentro de algum quarto
Trancado
Sem eira, nem beira,
Sem sono, sem sonho

Sem nada, no vácuo??


***


Com balas embrulhadas
Balas embaralhadas
Balas atiradas
Ao redor de quase nada
Na rua de São Paulo
Sem horizonte
E sem fuzil.

27/03/2008

No coração de um país..
Que se chama Brasil....

Queria ter um dia de marginalidade
Meus dias marginais foram muito cruéis
Meus dias marginais foram mais intensos, que o maior dos frios das pontes e viadutos paulistas.
Foram dias em que tudo se perdeu
Em que um pouco da alma morreu

Nascendo em novo eu.

Quem sou eu?

***
27/03/2008

Dos dias ...

Na largura dos dias e na estreiteza dos pensamentos.
A firmeza se perdia, tal qual estrela no firmamento.
Na lonjura das tardes, nas agruras das penas.
Um pouco do nosso rosto, um pouco do seu tormento.

Na antecipação da morte fria, no rosto desfigurado.
Um pouco do traçado do sangue derramado.
Um pouco de silêncio, do silêncio assustador.
Que se fez após o baque, pior que baque de tambor.

Na estrada se perdia, tal qual a curva assim sumia.
Na estrada compartia, tal a dor igual langor.
Encurvado, velho e triste, levaste de dedos em riste.
Pior cajado, pior cuidado um seu tanto derramado.

Encurvaradas ensimesmadas curvou a tarde atropelou a noite.
Então novo se refez, em tal parte se espalhou.
Não houve quem naõ notasse notas claras apertadas.
Transparentes derramadas em seu cui
dado, o meu tão bem.

k.t.n.


Tente me apanhar,
Tente me pegar.
E o que mais lhe ocorrerá
Serão rastros de luar.

Tente me apanhar,
Tente me pegar...
E o que mais lhe sucederá
Ninguem ousará contar.

Tente as hóstias todas
Tente o pensamento
Tente sente e tente
O máximo não levarás.

Tente me pegar.
Tente me tomar
E o máximo que conseguirá
É perdido ficar.

Kissesssssss.




















Entre em dia de bater...
Entre sem ninguém perceber...
Deixe as flores na soleira...
Poucas flores é besteira...
Muitas entre dias inteiros...

Entre, sente-se ,,, tente...
O mais que pode dividir...
O mais que pode me pedir...
O mais que posso ofertar...

Entre, o problema se concentra
Nas portas entreabertas
Insensatas, inexatas ou fechadas
Quase nada...

Entre sente tente sente...
É poesia pura ... vem alegrar teu dia...!!

By... k.t.n.


04/03/2008

Este sentido que me viola
Encanta em minh'alma e se espraia
Este vestido encolhido
Farfalhante, esvoaçante, insinuante...

Esta brancura que atrapalha
Transparência em alma inteira
Vidraçaria onde nada quebra.
Vidreiros, vidrilhos tt brilho.

É minh'alma errante...
Pensante , anunciante... do milagre da vida... da despedida...

Enviando em cartões, para outros caminhos...

Dores em borbotões, a habitar outros ninhos...

È a alma aberta... o encontro... o possível...

É a manhã... é manhã,,, chegou.... o ontem... chegou...

Que felicidade!!


12/06/2008




Para Aurora


Aurora rosa...
Aurora lilás...
Aurora boreal

Sempre Aurora...

Leal e vivaz
Autora contumaz
Aurora,,, muita paz!!!!!!

k.t.n.

27/02/2008





A sul

Aurora azul
De Norte a Sul
Brilha azul
Em recantos mil.

Aurora azul
De Norte a Sul
Brilha estrelante
No céu brilhante.


Aurora azul
De Norte a Sul
Brilha anil
Em dia primaveril.

Aurora azul
De norte a sul
Perde a sua cor
Em caminho multicor.

Aurora Azul
De Leste a Este
Gaste esta cor
Em esta ke é puro a
mor!!


18/05/2008

k
ka

kada dia
kada hora

k
ka
kati
kativas meu coração
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....



Instante

Ela chegou.
Num átimo.
Num instante.
Parou. Despertou.
Causou e se foi.

Quem ela?
Quem você/?
Quem eu??

Num mundo assim distante.
Um homem errante.
Sem parada.
Sem nada.

Só homem.
Ser.
Fazer.
Acontecer.

Eis o minuto.
Eis a noção.
Eis a causa.
Eis o efeito.

Tão grave defeito?
Quem sabe.
Não fala.
Não diz.
Não condiz.

É nome solto no ar.
É instante ke parou.
É momento ke errou.
É vc ... de novo aki.

K.t.N***

23/02/2008

Caleidoscópio ,


... faces do mesmo olhar
Mudanças, alternâncias, voltas
Refletidas em pedaços em geometrias
Belas e inusitadas formas,,, deformas

Um olhar, vários olhares...
Unidade, multiplicidade,
Singularidade, disparidade

Não importa a tal diversidade...

Bjs no seu coração...

k.t.n
03/02/2008

Para meu amor


Um dia a pressa me comeu
Não deixou nenhum pedacinho para ninguém
Alvoroçou e roubou mais de cem
Disse que eu não seria de + ninguém.

A pressa atormentou, abafou ... me tirou
Dos caminhos teus direto ao ninho
A pressa me enfiou num saquinho
Destes de pipoca que acabam num escurinho de cinema
Mais rápido do que o filme.

A pressa me engoliu
Saiu traiçoeira e sorriu... zombou...festou..
E eu? Fiquei sem tempo de dizer...
Que o que mais importa é amar você...

Meu amor, meu amor, meu amor...

k.t.n
03/02/2008

‘Bom Vivant”



Bom de vida. Bom na vida. Bom em nada. Bom em tudo.
Viva – apareceu na festa – dançou – fumou charuto – cachimbo da paz.
Bebeu – Amou. Dormiu. Tarde acordou.
Mas se lavou e lá estava: ‘Bon Vivant ... hey de Marchand...”

28/01/2008

Coração





Tum, tum, tum

tum, tum

tum...

tu

t.


k.








O meu coração não é de pedra
O meu coração não é = ao seu
O meu coração não se conforma
E transtorna e a ti torna
Em carinho ke não morreu....

19/01/2008




Cintila em verbo

Cintila em cores
São vãos amores
São lágrimas
São escuridão
É ternura,
É paixão
São seus olhos
Na multidão!!

k.t.n

As pedras endurecem um coração
As pedras mudam o rumo de uma nação
As pedras incomodam, dor-de-cabeça dão
As pedras, sempre pedras, contornadas
Embaladas, detonadas, tornam pedras.

Pedras!Dureza, firmeza... entristecem o dia.
Pedras... fineza, certeza, 'robustecem' a fantasia.
Pedras gentileza em roupa gasta
São farpas em sedas fartas...
Pedras... atiro-as longe de mim...

Voltam e revoltam em meu jardim
Preciso cobri-las ... preciso vesti-las.
Preciso descobrir o que querem de mim.

21/01/2008
Coração e solidão
Dentro do peito do poeta
Quente bate, quieto pede
Paz e mansidão

Ah... este lugar
Ausente e permanente
Avisa aos inquietos
A hora certa de parar

A hora exata de buscar
Ou de deixar um tal lugar....

k.t.n

23/01/2008


Gire, na dança da vida.
Não economize espaços.
É feito de aço.
Inoxidável, anticorrosivo... antipestilento;
É forte ao baque, resistente ao tum-tum-tum diário.

È maior, supera a vã imaginação.
E esfera entre quadrados.
É força estando mutilado.
É razão em minha canção.
Beleza, revelada em paixão.


02/06/2008


Das rosas

"
"

Esta rosa que nem se mostra
È uma rosa assim
Simples, nascida ao léo...
Sem vento, só papel

Uma rosa sem referência
De pouco trato e muita simplicidade
Uma rosa de perfume
Uma rosa de canteiro

Uma rosa de ano inteiro
Uma teimosa, sem adubo
E viceja,,, em meio às pragas
Empragueja... é forte...

Não é Príncipe-Negro
Nem Dama-da-noite...

Nem a orquídea branca
Em espaços bem tratada...

É uma rosa singela
Roubada pelos meninos
Pulando gradis
Em tardes juvenis

É a mais doce, mais resistente
Embora pisada, rejeitada...
Nem adubada,,, viceja...
Perfuma tranqüila e mais nada...

Em suas mãos docemente ajeitada.

By Kátia.


Este veludo ke nem uso...
Ficou guardado com cheiro de naftalina
Ficou engastado no escuro do armário
Esperando o frio o casaco perfeito

Este veludo ke nem uso...
Cansou de esperar nos trópicos a hora.
Brincou com outras roupas,,, ms ficou
Sabia ke o toque acetinado,,, o toque

Seria outra vez sentido, outra vez procurado
Numa noite fria, em que bate a saudade...
O veludo se distrai e sai.

Deixa a cama descoberta

Compõe com a saia bem discreta

Sai à rua para passear
E volta,,, aveludando o teu olhar..
Aveludando nosso tocar.





Fico na dúvida
Entre orquíd
eas e rosas
Fico na dúvida
Qual delas mais pode!?

by kati



06/01/2008



'Uma rosa com amor'
Um chavão em muita cor...


Kisses,,, welcome...

09/01/2008



poem// lily has a rose


lily has a rose
(i have none)
"don't cry dear violet
you may take mine"

"o how how how
could i ever wear it now
when the boy who gave it to
you is the tallest of the boys"

"he'll give me another
if i let him kiss me twice
but my lover has a brother
who is good and kind to all"

"o no no no
let the roses come and go
for kindness and goodness do
not make a fellow tall"

lily has a rose
no rose i've
and losing's less than winning(but
love is more than love)

e.e.cummings









Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.


Rosas verás, só de cinza franzida,

mortas intactas pelo teu jardim.

Eu deixo aroma até nos meus espinhos,
ao longe, o vento vai falando em mim.

E por perder-me é que me vão lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

Cecília Meireles



Rosa rey y amada
Preciosa y más nada.

Tan reina preciada
Sín vecina engañosa
Es altiva, alterosa,
Altanera y hermosa
Color de rosa embalada

En sueños perezosa
A quedarse y a brillar
En sus ojos son encantos
Son palabras, versos cantos...

k.t.n

17/03/2008


Para Marta Peres
















Marta, linda 'Mulher'....

Esta mulher que sou
Sempre assim se comporta
Busca em seu coração
Mesmo que esteja quase morta.

É uma mulher combatente
Resistente... resiliente.
Igual a qualquer... sonhadora,
Batalhadora... encantadora


Em suas rugas, em suas pregas
Muito de prece, muito de noites
De filhos acalentados
De riscos em seus bordados....

Muito de leite derramado
Muito de pão mal dormido
Muito mais ainda...
Deste sentimento só por Ela sentido....

Miga, vc me inspirou,,,bjs... espero ke goste.

By Marta's inspiration...

k.t.n

Kátia,

Eu

sou o que sou
sou o que me vê
sou o que escrevo
sou o que me lê...

sou pequena
meio forte
risonha e feliz
dizem que sou mãezona
mas me acho uma bobona...

sou cruzeirense de coração
mas pelo amor do marido
até arrisco no atlético
ensino os netos,
na torcida sempre forte
mesmo sem muita vontade
amarem o atlético.

Marta Peres
10/01/2008


Elegia à Marta

Flor que se torna dor coloca na haste os espinhos
No entanto, as pétalas mantém o suave perfume do amor
Com flor não se brinca,,, pode envenenar, pode alimentar,
Mas é sempre flor... harmônica, abre-se, acolhe, despetala...

Contudo em botão exala, novamente, o odor...
E as lágrimas roladas,, são nada mais ke gotas orvalhadas,
Encantadas pelo brilho, suavizando o calor.

A dor?! Neste instante partiu...pediu licença...
Foi poetizar em outro canto, noutro lugar.
Neste canteiro, não cabe mais!!

k.t.n

19/01/2008

Primavera

Minha primavera não tem datas
Minha primavera é perene
Acontece todos os dias
È carícia plena...

Minha primavera não tem pressa
Demora-se em meus jardins
Não tem pressa de vc, nem de mim
Aguarda em seus botões
Hora certa
Desabrochar febril
Com borboletas discretas.

Minha primavera não é só minha
Repartida entre os espaços ela ficou
Coitada... não tem descanso a pobre
Fica a mercÊ do capricho, zelo meu.

Encarnando a própria Primavera
Fiz-me de flores
Encantos quimeras
Fiz-me mulher
Desabrochada
Fiz-me sacana...

Um tanto debochada...

Olha o regaço,
Olha o instante...
É um apenas...


Os espinhos são para aqueles ke vieram
Roubar das pétalas o doce odor...
Os espinhos são para àqueles que se revestem
De falsas dádivas, falso amor...

Os espinhos que plantastes
Serão os mesmos que levarás...
Os espinhos que deixastes
Foram removidos da minha haste...

Bom domingo!!


06/01/2008

Quem me dera, em plena primavera,
Achar-te em gosto multicor, em meu jardim
Alado de odor...

Quem me dera, ser você não mais quimera
Uma fantasia em gosto de heras
Um amor abotoado em flor,,,

Ah, quem me dera, fosse vc minha surpresa constante
Dos amores, dileto amante,
Quem me dera...!!!

k.t.n.



Mulheres

¿Mulheres de Atenas?

Na cabeça melenas,
Apenas...
Meninas, que pena!

k.t.n.

03/01/2008

¨¨
¿Mulheres de Atenas?
Sem idéias, apenas...
Quimeras ... quem dera...
Fosses assim...
Quem dera... um momento para mim!!

Mas, depois, longe e sem fim...
Partirias assim...
Vazia de mim...

¿Mulheres de Atenas?

Na cabeça melenas,
Apenas...
Meninas, que pena!


k.t.n.
By Suzana's inspiration... rsrs...

Jardim




Nosso jardim é assim...
Um pouco de você...
Um pouco de mim...

k.t.n.

02/01/2008












O jeito Kátia de ser
É meio assim,,, sem jeito,,,
desajustado, desordenado...
Odiado, porém muito amado...












Fikei sem jeito...
Sem fala, sem nada...
Vou de flores...
Inflada, não caibo no porta-malas...

bjs...



Eu te convido a fazer parte do meu jardim
Eu te convido àqui viver um pouco assim...
A serenar em canções
A festa das mais belas flores
A dança de todas as cores...

É assim o espaço que eu rego
É assim a flor que eu te empresto...
Podes escolher, podes pegar...
São várias... são crianças a brincar

É a vida, que em instantes se esvai
E brota, onde fingida o mal gosto cai.
E renasce, mais forte, vigorosa.
Renovação a síndrome que assusta.

Recriação... espaço que ilude.
Transformação,,, na dificuldade que aludes...
No entanto,,, é só jardim... não te rias de mim.

k.t.n.
Bordando p. mim.

06/01/2008


Estas flores são ofertas raras
Estas flores são simples ofertas.
Vc pode ficar com elas de cara.
Ou pode, na medida, descartar.



Dos anos...



*2008*

Com gosto de biscoito na saída
Invertido em pares na despedida.
Deitado, em pé, mais um...
Que pede em seus círculos os ajeitos.

Justiça mais que perfeita,
Harmonia serena em trejeitos.
Aberto a princípio em seu dois...
Fechado em seus círculos, só nós dois.

É assim que se inicia novo período,
É assim que o vemos em nosso ser.
E assim nos enganamos em esferas.
E assim sorrimos, um a um, em longa espera...
Dando as voltas, as quimeras, as partidas e as chegadas...

Em seu rosto, o semblante... da mais doce namorada...
Par a par, ombro a ombro.
Risca o risco, começa o círculo....
Novamente, mais um ano,
Só mais um, dentre tantos...
Enganar-se não é o bastante.
Afirmar-se pe o que resta.
K.t.N.

31/12/2008

Carmina Burana

Omnia sol temperat
purus et subtilis,
novo mundo reserat
faciem aprilis,
ad amorem properat
animus herilis,
et iocundis imperat
deus puerilis.
2. 2.
Rerum tanta novitas
et veris auctoritas
iubet nos gaudere,
vias prebet solitas,
et in tuo vere
fides est et probitas
tuum retinere.
3. 3.
Ama me fideliter,
fidem mea nota
de corde totaliter
et ex mente tota,
sum presentialiter
absens in remota:
quisquis amat taliter
volvitur in rota.



O sol aquece a tudo
puro e sutil,
Abril de novo revela
sua face ao mundo,
ao amor incita
a alma do homem,
e o deus pueril governa
sobre os prazeres.
2. 2.
Todo esse renascer
na festividade da primavera
e seu poder
nos convida a alegrar-nos,
mostra caminhos conhecidos,
e na tua primavera
é justo e leal
reteres teu amante.
Ama-me fielmente,
percebe a minha fidelidade
totalmente de coração
e de toda a mente,
estou presente
mesmo quando estou longe:
quem ama de tal modo
é torturado na roda.

Carmina Burana





Omnia Sol Temperat (Tradução) lyrics


A mais pura luz do Sol

A mais pura luz do Sol
Transforma todos os seres
A face de Abril
Deixa o mundo renascer
Ao finado louvor
Todos os sensos do homem
À todos os belos seres
O jovem deus cortejará
À todos os belos seres
O jovem deus cortejará

Ame-me fielmente
veja como eu a honro nesta canção
você preenche de novo e de novo
Todos os sensos do meu coração

O mundo no começo da primavera
que reacender sua chama
Esta primavera também indica
como nós dois somos maravilhosos
Nós andamos por velhos caminhos
com calafrios em nossos tornozelos
Me diga que é verdade
Que nós sempre andaremos pela primavera
Me diga que é verdade
Que nós sempre andaremos pela primavera

Ame-me fielmente
veja como eu a honro nesta canção
você preenche de novo e de novo
Todos os sensos do meu coração

Pax


Na minha tarde rosa
De um rosa pálido
Encontrei você tão feliz
Tão leve,
tão solto

Levemente, meu rosto tocou
Delicadamente, em seu colo
Longo tempo de paz...
Rosto tão leve, gosto tão
sutil.

Parecia uma mensagem ...
intocável do meu bem.
Parecia ke a tarde serena
Desmaiaria em sonho meu....

Doce Romeu, doce erromeu
Vc sabe ser doce
Vc sabe visitar
Vc sabe vir e partir..........

Doce, tão doce ke deixou

A tarde imensa,,,,
inacabável,,, amena....
Tão serena, tão tranqüila

A dormir, a dormir, a dormir...


Onde estamos nós? Estamos onde o nosso pensamento nos coloca. Estamos onde nossos sentimentos brotam...

19/12/2007

Noite de Paz...

Meus olhos brilham
Minha boca canta

De ponta a ponta
A felicidade e a paz

Tão sonhada ...
Enfim,,, chegada...

20/01/2008


Bjs... e bons sonhos...




...

E se tudo não te bastar,
Toma um pouco d
e Paz...
Troque o seu 'vermouth'
Nada de apelar p
ara o truque
Não é hora de jogar

Sem apelar...
Meu amigo, companheiro,,
dia inteiro
Noite e dia... que trabalho tu me deste.
E agora, nem quer prece?/

Ah...conta outra, sai de lado
Desemburra, corta o dobrado
Mas nada de tirar
Esta tal felicidade,
Que tarde veio me encontrar.


By K.t.N.

28/01/2008






A PAZ

ALGO KE SE FAZ

QUE SE ENCONTRA

PRONTA A DESFRUTAR

DESPEDAÇADA EM MEU OLHAR...

DIANTE DE UM ALTAR

PERFUMADO POR MÃOS HÁBEIS...

PREPARADA COM O INCENSO

DO DESEJO DAS HORAS PASSADAS.

DA VONTADE ERIGIDA EM LEI

DO AMOR SENTIDO E VIVIDO.

K.T.N.

08/06/2008


Drummond





Ser feliz sem
motivo é
a mais autêntica
forma de felicidade.
(Drummond)









Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.



Ausência
de Carlos Drummond de Andrade




Bonecas

Para Anna...

Sou uma menina levada da breca
Sou meio assim, levada, sapeca.

Sou uma menina levada moleca
Sou uma garota sem jeito.

/By Kati/
Às panecas**(este título fica a seu critério, pode mudá-lo) Este é um esboço, farei outra, vê se gosta.

Boneca de pano
Trapiche doce engano
Boneca de pano
Foi feita de dano?

Bonecas de panos
São muitos seus panos
São muitas as rendas
São caros vestidos.

Bonecas de panos
São loiras e rúbias
Amigas e companheiras
Na estante zombeteiras.

Bonecas de pano
Guardam muitos segredos
Há na forma dos dedos
O feitio em enlevos

Bonecas de pano
Sapatos cuidados
Sapatos tão lindos
Parecem dos filhos.

Bonecas de pano
Roubaram a cena
Roubaram o amor
Da doce pequena.

Bonecas de pano
Fica aqui meu poema
Não quero perdê-las
De vista em minha vida.

k.t.n.

27/04/2008Arredias

Singelas, belas, comportadas
Singelas, belas bem cuidadas.
Revoltam-se as meninas.
A sair para passear.

Na estante, lá no canto
Não queriam mais ficar.

E espertas, rápidas e ligeiras
espetaram seus sapatos
E numa enorme carreira
Adentraram pelo mato

Eis que chega o caçador.
Pondo fogo na clareira
Eis que chega o pavor.
De voltar para casa inteira...

k.t.n.

















Uma rúbia e outra rosa
Uma reta e outra sóbria
Estão perto da soleira
A discutir em alta prosa.

Sou da Many, minha mamy!
Com sapatos ajeitados
Com vestidos de babados
Fino trato o meu cuidado.

E a rodar ligeiro a saia
Entremeios, laços e fitas
Rendas fartas em sua barra
Chamam Many, sua mamy.

E completas neste charme
Delicadez, infância tanta.
desprotegidas e muito amadas
Da sua Many o "brilho canto".




Boneca da Many

Diziam as bonecas:
¿Beatriz ou Catarina?
Num sorriso enigmático
Queriam ser de uma menina.

Diziam as meninas
¿Catarina ou Beatriz?
E quase, por um triz,
perderam seu nariz!!

Diziam Beatriz e Catarina:
_Apaguem a lamparina!
Não dê fogo às meninas.

Dizia sua mãe:_Sosseguem no seu canto!
Quem manda nesta estante
È Many de sonhos em sonho tanto.

k.t.n.

28/04/2008

As Panecas,
Por Hanna

Poupée de chiffon
Trapiche doux erreur
Poupée de chiffon
Il a fait des dégâts?

Poupées de panneaux
Beaucoup de leurs vêtements
Il ya beaucoup de location
Ils sont coûteux robes.

Poupées de panneaux
Ils sont blonds et rúbias
Amis et compagnons
En zombeteiras étagère.

Poupées de chiffon
Guardam de nombreux secrets
Il se présente sous la forme des doigts
Le feitio dans enlevos

Poupées de chiffon
Chaussures de soins
Chaussures si belle
Ils semblent aux enfants.

Poupées de chiffon
Roubaram la scène
Roubaram l'amour
Le Sweet Little.

Poupées de chiffon
C'est pour moi un poème
Je ne veux pas les perdre
De vu dans ma vie.

k.t.n.



By Kati

Palavra Puxa-Palavra
Traz teu nome sobrenome
Apelido, cognome.

Palavra Puxa-Palavra
Traz tua fome
Sem jeito, disforme.

Palavra Puxa-Palavra
Traz a rima, ritmo e mote

Silabação, estrofação, vida e morte.

Palavra Puxa-Palavra
Traz à forma o teu nome.
Dos meus versos teus conformes.

,,, prosa e verso, verso em prosa,
em contornos,
Eis meu// nome!!//


By Kati



Ter graça não tem graça

Ter graça da desgraça
É dor que não perpassa
Atravessa, bate na vidraça!!

k.

Entre o amor e a flor
Fico com os dois.
Um abstrato, outro palpável
Um esquisito, outro maleável.

k.t.n

Sou fêmea, não nego.
Ô nego, insisto...
Esquisito, persisto...!!!

Sou fogo, maldito.

k.t.n./
17/03/2008



Ridículas cartas de amor
Pessoa em forma de flor
Esquinas, quimeras em dor.

k.t.n.

Vácuo vazio nada na escuridão
Nada no baú
Rói as traças guardadas.






k.

Sou afável e doce como uma flor
Mas posso ser espinho em dor

De um minuto a outro, um descanso pouco
Talento nato, grito de fato!!

18/03/2008

Sou um problema
Um problema sem tema
Grande teorema.

by k.t.n.
13/06/2008
sem.data
sen tada

a...matriz
e...motriz
a...forma
..amorf.a
de..baixo
do. nariz!

29/06/08


Para você!

[Sem título, sem jeito]

Abaixaste a cabeça.
Denotaste evidente fraqueza.
O que é de adulto?
O que é de palavras?
Não sabes, não sabes, não sabes...

Ocultas a tua face, os ombros não sustentas.
Nem em páginas, nem em holofotes.
Perdeste, sem resgate.

Estás a deriva, qual a quota??!
Prestes sem auxílio.
Debates em vão, enroscaste nos seixos.
Sem jeito, sem jeito, sem jeito.

Deste o meu mais novo mote.


K.t.N.

18/11/2007

Cintila em verbo
Cintila em cores
São vãos amores
São lágrimas
São escuridão
É ternura,
É paixão
São seus olhos
Na multidão!!
k.t.n


Seu rosto

Seu rosto que os olhos iluminaram
Passaram de frente.
Fixaram-se!

Suas palavras, que meus dicionários
Não codificaram
Ficaram impressas nas paredes
Seus cabelo, nas mãos sempre um pouco
Nos traços, nas bochechas
Sempre um gosto

Você na parede encostado
Um ‘bom vivant’
Sempre um cuidado.

Bebida atroz que embriaga, alucina
Águia veloz
Que verte ao rio, com gosto da geladeira.

K,t,n,,,

28/01/2008☺vC. Pensando?

Pense em algo lindo.
Pense em você sorrindo.
Pense criança dormindo.
Pense na paz do caminho.
Pense no rosto anguloso.
Pense florestas, seu moço.

Pense reservas frutis.
Pense morenas gentis.
Alouradas pelo Sol.
Aglomeradas em arrebóis.

Pense um homem crescendo.
Pense no leite fervendo.
Pense na vida pulsando.
Pense! Somente eu...

Estou amando...
São verdes vestidos.
Azuis sexto sentido
Amar profano
Um grande encanto!

k.t.n.

22/04/2008



De luzes e sombras...















Diria ainda...

o Bem e o Mal,,,
a Luz e a Sombra...
o Ir e o Vir...
formas, ilusórias formas...
não cabem em formas...

Amiga, perfeito,
amei!!

Ó Suzana, não chores por mim,,,

Um dia, todos entenderemos,,,
sem degraus,,,
as performances...


apen
as...





Hj é dia de festa.
Hj é dia de 'glamour'.
Hj td acontece.
Preto no branco.

Dupla em cor.


A noite brilha, brilha em contornos enluarados,,,
Brilha em faíscas prateadas...
Brilha... faísca, brilha e faísca...
Porque é a noite do meu bem...

kisses...

06/01/2008



Para além da escuridão
A chama da vela.
Para além de cortinas fechadas,*
A mais nova arandela.

Novidade?

Agora sou eu quem leva a vela
Agora sou eu kem velo o sono
Agora sou eu kem ilumina a rua.
Agora a tarde é toda sua.

k.t.n.

10/01/2008




HÁ UMA LUZ
UMA SOMENTE
EM FORMA DE GENTE
ENREDANDO A SEMENTE
DA FLOR KE SE FOI...

HÁ UMA LUA AUSENTE
UMA LUZ QUE RESSENTE....

HÁ UMA

LUZ

NA RUA.
NA CALÇADA.
NA SUA.

K,
04/08/08




... lírios ...


Entre Lírios...

Não queiras roubar no teu abraço.
Não queiras quebrar no teu braço.
Laços feitos, presos em fitas.

Não queiras desfazer o dobrado,
O já dito, em partidos, ajeitados em nós.
Colorir, impingir a tua cor.

Qual é a cor do amor?
Vermelha, talvez, convenção?!
Rosa, ternura, atenção?

Não queiras colorir em único tom.
A cor emana da aura, a cor emana do amor.
E o amor quando puro e profundo não tem cor.

É ausente, enobrece, recolhe, escondido fica,
qual pedra preciosa, presa em laço de fita,
guardado numa caixa, uma caixa suntuosa,
chamada tão somente de Razão!

Acorda, é hora! Acorda, é tempo!
Apóia nas tuas mãos, na direita o cajado,
Na outra, o lírio dos abismos.

K.t.N.

"Em razão do meu amor
Em caixas de papelão."

Clichês...

CLICHÊ /1/

Na antiga América do Sul,
Rebrilhava em azul
Especial paisagem,
De um azul profundo, de um céu tbm profundo e intenso.
Pertencente aos trópicos, de Sol forte combatente.

Mas o azul contamina, cai no gosto popular,
E o planeta Terra conjuga a cor por excelência
Tão suave, doce em sua presença,
Confirmam os céus, respondem os mares
Finito o último, porem infinito o primeiro...

Em sua plenitude, angelitude,,,
Azul de todos, de espaço indefinido
De um clichê, de um talvez, kem sabe meu,
De olhos revéses, oblíquos,,,
De reféns de ninguém, dilui-se ,,,
Esparge contaminando a todos.

E não sendo de ninguém...
Volta tranqüilo em sua órbita
Transparente, ternamente, é de todos,,,
é clichê, lugar comum, é do 'mundo';;;

Conjugue em 'paz'!
No plural, tanto faz...

Outubro, ainda,,,

Parodiando...


Por que será, que será, que andam incomodando
Na beira dos becos
Que andam falando mal pelos botecos
Que gritam nos mercados
Que com certeza

Está na Natureza,
Nas felizes,
No meio do jardim
Das flores matizes,,,

E brilham nos canteiros
Nas frestas, bocas
E brincam nos brinquedos
Bonecas toscas,

Lálálálálálálaálllllaaaaaaaa´´´´´´´´´

Áqua...



Aqua...

Poça...
Nossa...
Bossa...
Nova... ,,, ... ,,, ... ;;; ,,, ... ,,,


I
Possa,,,
Nossa,
Bossa,
Nova,


Traduzir
O som
Desta
Gota,
No oceano
Na água ke kai, a chuva ,,, ah!...paz!!
Na água,
,, barulho de gota...
Barulho de agora... morangos, amora...
Um doce namora... satisfaz,,,...,,,....

São grilos cantando...,,,...
acridoces, voando...,,,...
Na água ke kai,,,...,,,
Um doce hai-cai...

Dos teus olhos... ,,, ... ,,, ... ,,,

a...q...u...a...

a...q...u...a...r...e...l...a
a...r...u...a...d...e...l...a
...................b...e...l...a
...................v...e...l...a
....n...u...a...b...e...l...a
...n...a..........t...e...l...a
a...q...u...a...é..e...l...a

K.t.N.



a...q...u...a...

a...q...u...a...r...e...l...a
a...r...u...a...d...e...l...a
...................b...e...l...a
...................v...e...l...a
....n...u...a...b...e...l...a

K.t.N.


23/10/2007

Aquamarine

Aqua...........
.........marine
Aqua............
.........mar.....
.........marine
....................
26/10/2007




Chuva abençoada, chuva esperada,,,
Sonhos anunciados, projetos executados...



Parece ke foi ontem,
E esta
mos aki,
A olhar o grande infinito
Prostrados aos teus pés...

E parece ke foi ontem
E estamos aki, diante da tua imagem,
A buscar-te perfeiçaõ
Em azul, em imensidão...

Parece ke foi ontem...
E o teu menino, pekenino,,,
Em doces sonhos embalou
Canções doces escutou...

E tudo ficou na cantiga
Do jeito antigo de rezar em paz.
E tudo ficou na cantiga...
O jeito, a mãe e o pai.

K*T**

Eu

Estado de permanência

Sonho e durmo tranqüïla
A essência que é perfuma
meu quarto de todas as noites,
de todos os dias.

Passa pela janela
em s
urprendente alquimia!!
A
flora em borbotões
Abrem-se em sépalas,
pétalas, ,, doce odor!!

K*T**

10/10/2007


Me vejo dilacerada,
de meus versos aos anteversos,,,

Restam os pós-versos?!
Um nó perverso,,,#,,,#

K*T**
24/10/2007






Forte, invejada, combatida.
Contente, indiferente, resistente.
Inco
modo tanta gente,
tanta gente, tanta gente...

Pra frente maquinista,
seu foguista,
muita força, muita força, muita força...

É pra frente, é pra frente, é pra frente!!!

Piuiiiiiiiiiii......Iupiiiiiiiiiii.....!!!



Suzanah... oh!!

Estou longe de mim,

Estou dentro de ti...

Em espaços pekenos

De um jeito

De não sair mais,,

De ficar, de ficar, de ficar,,,

Olha, só!!

[k.t.n]















!!Suz
anah... oh!!

Estou longe de mim,

Estou dentro de ti...

Em espaços pekenos

De um jeito

De não sair mais,,

De ficar, de ficar, de ficar,,,

Olha, só!!
[k.t.n.]
27/11/2007







E no meio do caminho tinha uma fonte/ Tinha uma fonte no meio do caminho/ Tinha? Fonte? Pedra? Kátia? Katita?!!! Hummm,,,, sei lá, eu ke sei,,, !!!???


02/12/2007