quinta-feira, 21 de julho de 2011

&

...é a neurose de se ver preenchido,

histórias fracassadas são tábuas de salvação para o vazio existencial profundo.

Muletas. Levanta-te e anda, é a solução."

...

Invado o teu espaço
Encontro o meu regaço.

`❀´k`❀´tia`❀´ torres`❀

´ Há uma solidão intrínseca que se reparte em olhares distintos.
Uma permanência serena que naõ distingue, apenas.
Aquieta-se ao sol e seca, e espera lágrimas pungentes.
Não cai, naõ adormece, naõ fita.
Assim.
No arrebol.
No dia de sol.
Passeio.
Tateio
Vagueio.
Chego cedo.
... Imensidão! 01:16

domingo, 17 de julho de 2011

Palh@

E me transformo e retorno ao bom, oficial, original.
As palhas queimam e libertam o ar sufocado das poeiras febris.
O corpo treme e geme de alegria e libertação.
Das verdades postas a nu tão gentis.

É um mistério esta alegria com tristeza esta beleza toda entrecortada.

Onde o sussurro? Num tempo que se vai ...

Onde a espera? Num lugar que se dissipa...

Onde a tormenta? Num mistério que não se justifica...

E assim passa, e assim vai... esta a graça, este o encanto.
A vida pulsa, os pássaros fazem a festa, oportunidades se abrem
São leques, são esteiras, são meninas em rasteiras.
A verdade nunca geme! Urra e não treme!!

k.t.n.*&

Em breve a terceira cor :)

✿✿✿ ♪♪♪♪♪♪✿✿✿♪♪♪♪♪♪.

✿✿✿ ♪♪♪♪♪♪✿✿✿♪♪♪♪♪♪.

✿✿✿ ♪♪♪♪♪♪✿✿✿♪♪♪♪♪♪.

`❀´

`❀´`❀´`❀´ `❀´`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´

`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´ `❀´`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´

`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´ `❀´`❀´`❀´`❀´`❀´`❀´

Boa noite na penumbra enluarada!

Boa noite, amor!
Boa noite, paixão!
Boa noite, ilusão!
Boa noite, deletéria realidade!

Boa noite, vida!
Estou de partida!
Boa noite e sempre Bom Dia!
Porque o dia, ah, este nunca acaba.
Só para para descansar na penumbra enluarada!!!

k.t.n.*

noite

A noite é curta.
Preciso ir pra ela.

k.t.n.*

Dour0

E se te douro
dourado fico
Permaneço em raios esparsos
Concentro-me!
Centro!

E irradio, luminosamente,
todas as fases da lua.
E me limito à infinitude.
Nela simples e clara,
Enfrento o dia
Enfrento a noite
Em frente, o fato!


`❀´k`❀´tia`❀´ torres`❀

Só saudades

Saudades, saudades, saudades!
Saudades redondas, saudades circulares,
concêntricas voltagens!

Saudades, Só Saudades!

Hoje!

Saudades, só saudades...!

???????????

Se a noite é estrelada o coração pranteia cantos
Levanta da colina e caminha desatino em certos compassos
Retorna e adormece risonho e cristalino
É a festa esperada, sonhos pranteados.

E as estrelas fugídias, buscam-te ferozes
Abalam um sistema límbico cruel
Desatinam-se em teu encalço qual corcel
Desmaiam no Sol impassível céu

Eis que as brancas noturnas surgem
Sorrateiras, fagueiras, quentes.
Amornam o frio.

E o que era de menino e vadio?
E o que era de cansaço e arrepio?
Gritam as pontiagudas ligeiras,

Estamos sós, tão sós que somos muitas
Entrelaçadas estrelas do céu gigante,
Enormesferas cantantes.
Despontadas, atinadas, atiradas neste imenso léu.

k.t.n.* & in rock

Filhos

Estou,
estou no meu canto atormentada
Pensando em quase nada,
Deixa-me em silêncio nesta voz de surdina
Preciso, preciso, preciso.

Não quebres tal ilusão desta passagem
Que me trará por instantes a realidade do que logo não mais existirá.
Não quebres o encanto antes da hora.
Desprevenido é o coração
E à mente assalta
Obra ligeira, terrível falta que me fazem.
Sempre tão perto e tão distantes.
Sempre tão juntos e tão separados.

Meus filhos!

Quando este coração de mãe verá seus pés na mesma trilha?
Passos firmes e fortes no mesmo encalço?
Felicidade em forma de presença,
Já houve muitas lágrimas em forma de ausência.

Preciso,
preciso disto, precisamos!
Urgente!

A fala que cala, o gosto que exala, este humilde e suplicante pedido de mãe!

Às minhas vidas, meus filhos,

Alisson e Fabrício!

Cera

É noite, tarda! Passou da hora!
Recolher. Toque.
Sossegar o aflito.

Esperar, pelo bendito.
Pelas mágicas e presentes.
Esperar e crer no processo belo da emulação necessária.
Atesta a fé, através de atitudes silenciosas irrestritas.
Parede protetora, muros divisórios.
Poucas passagens.

E muitas preciosidades.

Encontrar o caminho, o esperado e encantado.
O real e não ideal, o que precisamos.
Não o que sonhamos.
Não aos sonhos vãos.

Pés de cera firmes.
Não derretem sob o Sol.

k..t.n.*

Amoras

A flor, o rastro, o amor
A distância, o trato, rancor
A farinha, o ninho, o menino
A esperança, a criança, destino

Feito doce, borboleta, asas
Foges, casas, calas.
Fita, laças, embalas
Faces, traços, amorosas

k.t.n. in amora sem demoras

festa

Isto tudo é festa,
Isto tudo é poesia.
Tudo isto fantasia,
Tudo isto testa.

k.t.n. in preguiça

Rastros

A flor que prendo cativa é a mesma que teus pássaros virão beijar!
Por testemunhas borboletas colores,

Mimetismo.


A França engraçda dos meus sonhos.
Magnetismo.


Fragrâncias, suavidade, rastros, caminhos.


Verdade.

k.t.n.* in flor

domingo, 3 de julho de 2011

Soberba

E se Deus te fez assim, o que fazer agora?
Resposta sem hora.
Ele fez e quis, tu soberbo destroi.
Com qual ordem?

Com qual sinal?
Desobediência fatal, grande mal.
Aceitação e busca de si,
A grande tragédia, não ensina pagãos.
Mas cabe dentro de um coração contrito.

k. in busca.

Cera firme

É noite, tarda! Passou da hora!
Recolher. Toque.
Sossegar o aflito.

Esperar, pelo bendito.
Pelas mágicas e presentes.
Esperar e crer no processo belo da emulação necessária.
Atesta a fé, através de atitudes silenciosas irrestritas.
Parede protetora, muros divisórios.
Poucas passagens.

E muitas preciosidades.

Encontrar o caminho, o esperado e encantado.
O real e não ideal, o que precisamos de fato.
Não o que sonhamos, não aos sonhos vãos.
Pés de cera firmes.
Não derretem sob o Sol.

k..t.n.*

Bem-vindos os novos seguidores!!

Bem-vindos e obrigada, aos novos seguidores. Aos antigos, não desistam, melhorarei.

Amo vocês!

Meus filhos!

Estou, estou no meu canto atormentada
Pensando em quase nada,
Deixa-me em silêncio nesta voz de surdina
Preciso, preciso, preciso

Não quebres tal ilusão, preciso desta passagem
Que me trará por instantes a realidade do que logo não existirá mais.
Não quebres o encanto antes da hora.
Desprevenido é o coração
E à mente assalta
Obra ligeira, terrível falta que me fazem.
Sempre tão perto e tão distantes.
Sempre tão juntos e tão separados.

Meus filhos!

Quando este coração de mãe verá seus pés na mesma trilha/
Passos firmes e fortes no mesmo encalço.?
Felicidade em forma de presença,
Já houve muitas lágrimas em forma de ausência.

Preciso,
preciso disto, precisamos!
Urgente!

A fala que cala, o gosto que exala, este humilde e suplicante pedido de mãe!

Às minhas vidas, meus filhos, Alisson e Fabrício!