terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Das rosas

"
"

Esta rosa que nem se mostra
È uma rosa assim
Simples, nascida ao léo...
Sem vento, só papel

Uma rosa sem referência
De pouco trato e muita simplicidade
Uma rosa de perfume
Uma rosa de canteiro

Uma rosa de ano inteiro
Uma teimosa, sem adubo
E viceja,,, em meio às pragas
Empragueja... é forte...

Não é Príncipe-Negro
Nem Dama-da-noite...

Nem a orquídea branca
Em espaços bem tratada...

É uma rosa singela
Roubada pelos meninos
Pulando gradis
Em tardes juvenis

É a mais doce, mais resistente
Embora pisada, rejeitada...
Nem adubada,,, viceja...
Perfuma tranqüila e mais nada...

Em suas mãos docemente ajeitada.

By Kátia.


Este veludo ke nem uso...
Ficou guardado com cheiro de naftalina
Ficou engastado no escuro do armário
Esperando o frio o casaco perfeito

Este veludo ke nem uso...
Cansou de esperar nos trópicos a hora.
Brincou com outras roupas,,, ms ficou
Sabia ke o toque acetinado,,, o toque

Seria outra vez sentido, outra vez procurado
Numa noite fria, em que bate a saudade...
O veludo se distrai e sai.

Deixa a cama descoberta

Compõe com a saia bem discreta

Sai à rua para passear
E volta,,, aveludando o teu olhar..
Aveludando nosso tocar.





Fico na dúvida
Entre orquíd
eas e rosas
Fico na dúvida
Qual delas mais pode!?

by kati



06/01/2008



'Uma rosa com amor'
Um chavão em muita cor...


Kisses,,, welcome...

09/01/2008



poem// lily has a rose


lily has a rose
(i have none)
"don't cry dear violet
you may take mine"

"o how how how
could i ever wear it now
when the boy who gave it to
you is the tallest of the boys"

"he'll give me another
if i let him kiss me twice
but my lover has a brother
who is good and kind to all"

"o no no no
let the roses come and go
for kindness and goodness do
not make a fellow tall"

lily has a rose
no rose i've
and losing's less than winning(but
love is more than love)

e.e.cummings









Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.


Rosas verás, só de cinza franzida,

mortas intactas pelo teu jardim.

Eu deixo aroma até nos meus espinhos,
ao longe, o vento vai falando em mim.

E por perder-me é que me vão lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

Cecília Meireles



Rosa rey y amada
Preciosa y más nada.

Tan reina preciada
Sín vecina engañosa
Es altiva, alterosa,
Altanera y hermosa
Color de rosa embalada

En sueños perezosa
A quedarse y a brillar
En sus ojos son encantos
Son palabras, versos cantos...

k.t.n

17/03/2008


Nenhum comentário: