quarta-feira, 29 de abril de 2009

Resedá in rose

Cortaram o meu resedá, sentenças em flores!
Cuidado desvelado, um rosado de facções;
Uma parte em pedaços alternativos de chuvas torrenciais,
Esparramados e tão sozinhos jogados pela calçada...

Penitentes, embora o caminho seqüencial
Revele a tua face, o soturno birrento, a preguiça premeditada.
O divino bizarro, o menino atrevido das calçadas e dos muros.
Das manhãs e das noites e das tardes dormideiras.

Enrubesce e se ergue em prece atitudinal, longitudinal...
As mãos acima, vertical nas rosáceas que acenam,
Das lágrimas das espirradeiras, da beleza contornada,
Esculpida pelas tuas mãos nem sempre serenas.

Era de muitas flores, de muitos sentidos, fantasia
Em plena luz do dia, realidade morna, um propósito ...
Que a ti torna, em teu contorno, em teu alento,
Em tua paz e em teu tormento, meu resedá em flor!

Das nuances do amor, do controverso bem e mal,
resedá rosa de rua!

K.t.N


{Kátia Torres Negrisoli}

domingo, 26 de abril de 2009

Blindado

Santo do Blindado

A~e meu Santo do Blindado,
Venho te pedir muito mais cuidado,
Mais atenção e participação,
Livra-nos dos males e de tanta confusão!

Cuida das 'Katitas', das intempéries, das visitas.
Também, cuida dos nossos sonhos na realidade constituídos.
Permanece em atenção, de Norte a Sul, passe pelo Sudeste.
Aqui, não parece, mas há cabra da peste.

Leva os inauditos, as esquisitices, as fanfarrices.
Deixa o tempo certo, a agenda cuidada, o trabalho dobrado.
Não tem jeito, meu santo, não tem jeito!
Pedimos tanto, Katitas em prece, mas o Senhor, parece que nos esquece.

Mais uma vez, em teu louvor e em nosso favor,
Não brinques em serviço, faze tua parte, tira de nós a arte.
É hora de estudo, de muita concentração.
Leva, para lá do céu, esta tamanha confusão.

Em nome de todas as Kátias do Brasil.

K.t.N.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Meninas


As meninas de 12 anos

Sorriem felizes as meninas de 12 anos
Tiram suas fotos, compartem seus sentimentos,
São pueris, risonhas, saudáveis...
Têm em seus olhos sonhos, desejos, felicidade.

Estas meninas possuem a saúde, o mistério da futura mulher.
O encanto alvissareiro, a magia feiticeira, as maçãs domingueiras.
São meninas, são garotas, são mulheres em construção.
Dentro de si o germén da gostosa revolução,
Da menarca a donzelas também sofrem crianças belas.

Perdem o sono, sonham acordadas, olham ao derredor,
Não estão sós, acompanham-nas o fértil materno,
o orgulho paterno e a dispusta fraterna.
Sofrem as meninas, pululam de incerteza a incerteza,
Mas são somente meninas e já inteiramente mulheres.
Como são belas!

k.t.n.

sábado, 18 de abril de 2009







As flores das 9 horas

Em degradê generosas
Atravessam tuas grades
Pronunciam-se nas frestas
Cantam alegres as manhãs

Flores das 9 horas
Sorriem felizes seus matizes
Neste instante, engrandecem
Vertem preces as infelizes

Do relógio da matriz
Mostram o rosto e faceiras
Encantam pobres passantes
Beligeram longe dali

Frágeis e singelas
Esperam pacientes
A hora de dormir
São flores de esquinas,
pequeninas engrandecem
e floriem para ti.

k.t

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Comentários.........!

Desculpem-me por não responder aos comentários que me enviam e nem comentar os respectivos textos em seus blogs, porém não consigo publicá-los, não sei o que acontece.
Kátia


Os textos aqui postados ainda estão em fase de reedição. São esboços...

Obrigada, pela visita.

Deixe seu comentárioro, para o aprimoramento.

Kátia

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Cantinela

S'imbora entoar uma canção de ninar gente grande
Embalar os sonos de breves instantes.
Passear em teus olhos, pernoitar em tuas faces,
Cantando ajeitados os derradeiros.

E nesta cantilena preservar o tempo,
Configurar a névoa, em frias cadências,
Identificar o gosto, o alácre formado
Na açucena que reverbera no teu céu palatal.

E cantando e vociferando o cântico
Cantar-te-ei ligeiro e embalar-te-ei docemente,
Observando o balançar da cortina,
Deixando as réstias ornadas de sol
na frágua manhã, ainda, primaveril!
Ornar os teus lábios, os teus seios, teus navios.

Há um sabor alácre, há um adocidado.
Há o som do vento.
O imaginar-se, o fechar de olhos,
O barulho tênue que atravessa a vidraça.
Há o teu semblante, a rua, as alamedas.
Há o teu perfume sutil atravessando esquinas.
Hà o citrino da manhã de abril.
E também o desmaio um quase febril. Um encanto. Uma atmosfera.

Há o adormecer, o pertencer a esta imagem evocada do acaso.
Da plena e intempérie bonança.
A palavra, a miragm. Há a fim a risada, o vinho decorado de champagne.
Sem ornelas, sem azeitonas, há cerejas.

Há as ligeiras, as farpas, as domingueiras, as muitas manhãs do teu nome, os muitos desdobramentos de menina um tanto.
Há neste algoz um bom dia, neste trato tua tinta, neste abraço tua menina, uma jardineira em flor. Uma camélia desmaida, uma figura, um traço, um perfil. Um sobrancelho, um cartaz, um aviso.

Há esta parada que não se sente.
Doce lado envolvente e a canção.
Que fica a martelar, a canção alegre. A canção.
Só há cançao. Só há canção. Só há canção.

Só há ... muita festa, muito jeito, muita ligeireza, esnobando a estreiteza.
Um teu pensamento em meu volátil verso.
O meu acamado e doce espanto, o ar de abril adamantino.
A espetacular presença de uma mesma outra vez mais jogada aqui, metaforizada na cantiga e neste luto adormece,
Uma paz e ... apraz.

K.T.N.
16/04/2009

segunda-feira, 13 de abril de 2009

10/01/08

Para além da escuridão
A chama da vela.
Para além de cortinas fechadas,*
A mais nova arandela.

Novidade?

Agora sou eu quem leva a vela
Agora sou eu kem velo o sono
Agora sou eu kem ilumina a rua.
Agora a tarde é toda sua.

k.t.n.

09/01/08

É noite, é noite certa...
Nesta noite preciso voar...

É noite, é noite deserta,
Nesta noite preciso buscar...

Estas flores são ofertas raras
Estas flores são simples ofertas.
Vc pode ficar com elas de cara.
Ou pode, na medida, descartar.

'Uma rosa com amor'
Um chavão em muita cor...

Kisses,,, welcome...

06/01/08

Pontilhada de cristais
Assim tu levas longe
Todos os meus ais.

k.t.n.

Minha primavera não tem datas
Minha primavera é perene
Acontece todos os dias
È carícia plena...

Minha primavera não tem pressa
Demora-se em meus jardins
Não tem pressa de vc, nem de mim
Aguarda em seus botões
Hora certa
Desabrochar febril
Com borboletas discretas.

Minha primavera não é só minha
Repartida entre os espaços ela ficou
Coitada... não tem descanso a pobre
Fica a mercÊ do capricho, zelo meu.


.kátia

06/01/08excluir

HOJE A 'ARTE' É MINHA

ME ADONEI DA TUA IMAGEM
E COMPUS MINHA POESIA.

Ontem me vi assim...
Pensando em vc. pensando em mim
Triste conclusão de fatos passados
Felicidade pelo erro tratado.
Imaginaçao fértil
Medos detonados.

Assim seguimos,
Assim partimos...
Deixando para trás
Os fantasmas guardados
Levando esta beleza incontida
Este coração ke nem se mostra
De beleza escondida.

Este estar lânguido
Estes olhos guardados
Esta preciosidade
No vaso estampado
Na leveza do vestido

Um novo sentido.



Fico na dúvida
Entre orquídeas e rosas
Fico na dúvida
Qual delas mais pode!?

by kati


"

Esta rosa que nem se mostra
È uma rosa assim
Simples, nascida ao léo...
Sem vento, só papel

Uma rosa sem referência
De pouco trato e muita simplicidade
Uma rosa de perfume
Uma rosa de canteiro

Uma rosa de ano inteiro
Uma teimosa, sem adubo
E viceja,,, em meio às pragas
Empragueja... é forte...

Não é Príncipe-Negro
Nem Dama-da-noite...
Nem a orquídea branca
Em espaços bem tratada...

É uma rosa singela
Roubada pelos meninos
Pulando gradis
Em tardes juvenis

É a mais doce, mais resistente
Embora pisada, rejeitada...
Nem adubada,,, viceja...
Perfuma tranqüila e mais nada...

Em suas mãos docemente ajeitada.

By Kátia.


Pegue o seu coração...
Pegue-o... e faça dele
Uma linda canção...

bY kATI.

http://i248.photobucket.com/albums/gg188/mercinha11/Art/leaveme.jpg


Encarnando a própria Primavera
Fiz-me de flores
Encantos quimeras
Fiz-me mulher
Desabrochada
Fiz-me sacana...
Um tanto debochada...

Olha o regaço,
Olha o instante...
É um apenas...


Os espinhos são para aqueles ke vieram
Roubar das pétalas o doce odor...
Os espinhos são para àqueles que se revestem
De falsas dádivas, falso amor...

Os espinhos que plantastes
Serão os mesmos que levarás...
Os espinhos que deixastes
Foram removidos da minha haste...

Bom domingo!!

Para Anna Lúcia Tavares

Para Anna...

Sou uma menina levada da breca
Sou meio assim, levada, sapeca.

Sou uma menina levada moleca
Sou uma garota sem jeito.

/By Kati/

Novo dezembro

Novo Dezembro

O meu mais Novo Dezembro, consagro a ti
Á mãe das mães, a superior, a que sabe do coração
o sofrimento humano, e aconchega nos seios os seus filhos.

O meu mais Novo Dezembro, consagro a ti.
Á mãe que me acolheu em seu colo, ensinou-me os caminhos, amparou-me,
Deu seu corpo como abrigo, oportunidade de estar e ser.

O meu mais Novo Dezembro, consagro a mim, que buscando
em ti, posso nos teus passos renascer, continuar, desvendar, estudar, desvelar.

O meu mais Novo Dezembro é assim, um pouco denso, um pouco leve...
Mais nova cor, em novo amor, em novas esferas,,,
De cores respingadas de florestas, de opiniões, de fantasmas, de fantoches, de entrevistas dos bordados, das serpentinas, das meninas, dos colegas, alpercatas, rotas novas, novos mares, novo prato.

Enfim... é Dezembro, novo dez em doze! Em tantos anos juntas.
Uma nova era de um, de cada um em seu lugar.
Em nova vez de continuar, em alta

01/12/07

Cometa Azul, um Reino!

.

Em minhas borboletas há um mundo ,,, visível somente para quem tem olhos de ver ... e coração de sentir,,, um mundo todo especial, colorido, vigoroso, iluminado... do sol, ke passa pela noite e acorda majestoso e se mostra, msm depois de qq e todo vendaval ...k.t.n.
24/11/07

O tempo

VIRANDO, VAI VIRANDO,,, ASSIM VÃO AS HORAS, OS DIAS, OS MESES, OS ANOS... ASSIM, COMO UM GDE RELÓGIO, KE ORA ALTERNA O IRRITANTE TIC-TAC COM O MONÓTONO TAC-TIC... COMPONDO A LONGA HISTÓRIA DAS HORAS, DOS DIAS,,, DO MEIO-DIA... HORA EXATA... CUJA SOMBRA NÃO SE ENCONTRA... ESTÁ CENTRADA NA PRÓPRIA IMAGEM,,, TIC-TAC, TIC-TAC, TIC-TAC....

Novembro

# @ # @ # @ # @ #

NOVEMBRO (Em construção...)

Nova era... quem era novembra.
Nova era de heras... emaranhadas
primaveras...

Nova me lembra, lembra, lembra...
Novembros idos, novembros perdidos...
Esquecidos...entre partidos os entes queridos.

Novembro em membros, em mãos calejadas.
Novembro saído dos setembros...
Aguardando o mais novo Dezembro.

Novas eras... espera... vale a pena,
Não serão novembros apenas!!

K.t.N.

04/11/07
# & # & # & # * # $ *

domingo, 12 de abril de 2009

p a i x ã o

Apaixonada?? De novo??!!... Nãoooooooooo!!!!!!!!! Levem para longe de mim esta ausência de razão, esta falta de propriedade. Chamem, urgente, o psiquiatra, o terapeuta, a psicóloga, as bruxas, as cartomantes, as benzedeiras, as rezadeiras, livrem-me do fatídico, da química algoz, da alquimia cruel, da perda do 'no sense', .......... sem cartas de amor de Pessoa, sem o ridículo dos devaneios alucinógenos em puro dia, falta de atenção, desaviso, .................... chamem, chamem a 'SWAT, a KGB, a INTERPOL', o comando tático, o diabo à quatro, mas levem-na daqui e me deixe... na santa paz, no árcade equilíbrio, no Sol causticante, razão beligerante, sem atuação dos desvarios desta tal de p a i x ã o, pura perda de tempo.......... cruel lamentação!!

Alguém, ajude-me e para longe deste mister todos os maus intencionados! Rezarei ave-marias, padres-nosso, salve-rainhas todos os dias genuflexa-penitente, o rosário desfiarei, meus pecados confessarei, água benta espargirei,palma benta apelarei, contudo, em nome do Todo Poderoso, afasta de mim ... deixe-na no Atlântico Oceano, salgando e passeando, em círculos orbitais, acompanhada pela Lua, até cansar-se e adormecer.

Em nome de todos os DEUSES, das ninfas e dos gurus, refarei novamente o pedido, buscarei em palácios, navios, embaixadas, ... invadirei a NASA, colocarei-a em foguete escondido, num plano secreto, esta paixão indiscreta, que vez ou outra me assalta, faz-me de viragem, enlouquece na viagem e só passa depois de ingrata, de injusta em muitas partes...........antes disso, mando-a embora, vá-se de passagem, de preferência, primeira classe, num 'boeing' civil, fazer o seu comercial!!


K.T.N.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

quinta-feira, 2 de abril de 2009

* * * :))

As flores do teu jardim
Desabrocham para mim.

:))

Rosa

No meu mundo rosa você caiu, de repente.
Nesta cor que me mata um átimo e um instante.
Uma cor e um semblante a esfera do que é capaz,
O amor que satisfaz as memórias do que nunca vi.

Nesta palha rosa o amor feitio cruza laços, anuncia navios.
Neste perfil cremalheiro a lenha insiste em fulgir rostos pequenos.
Na enseada da tarde o perfeito ideograma inacabado, o amor rosa, o amor prosa.
Neste perfil em pavio, direção sem fuligem, sem formol, sem divisas.

Nesta esfera enorme, meu canto de festa, de reza que enlaça.
No teu perfil, o nome, a sesta, o embate, o encontro, dos meus olhos nos teus.
A esfera, a testa, a promessa, o filho que não partiu, o amor em adornos infantis.

O encanto, a floresta o amor, o tom inacabado, o encanto...!
Suave e sutil, em teus braços adormeceu, no entanto!

k.t.n.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Mana 2

Ar de garota, infantil, olhos arregalados, pressa e bom cuidado.
É assim, este jeito afobado, ajeitado, pura ternura.
Minha mana 2, olhos bondosos, fartura!
Transparente brinca sem jeito, assustada, querendo voltar.

No seu caminho só há ida, palmilhando crianças puras.
Ó Dalila, sem Sansão que te domine, sem cabelos que não segures.
Uma menina, trejeito inteiro, um amor, és de mãe maneiro.
Tuas lágrimas não consegui contar, teu amor consegui guardar.

Embalada pelo Sol, guiada pela Lua, ornada em flores.
Buscas colméias em abelhas, trigas ligeira as costumeiras.
Assas o seu bolo de milho um gosto, uma saudade, uma fazenda, um riacho.
Das flores brancas o cheiro guardo, das velas tantas a luz do lume fino.

Da lamparina olhar meiguice são os teus dotes vestígios do amor.
São florezinhas estampadas em vestidos de menina; é de organza
os 'pois' pequeninos em preto e branco, Dalila cor.

Noite linda, mana.

k.