terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Para meu amor


Um dia a pressa me comeu
Não deixou nenhum pedacinho para ninguém
Alvoroçou e roubou mais de cem
Disse que eu não seria de + ninguém.

A pressa atormentou, abafou ... me tirou
Dos caminhos teus direto ao ninho
A pressa me enfiou num saquinho
Destes de pipoca que acabam num escurinho de cinema
Mais rápido do que o filme.

A pressa me engoliu
Saiu traiçoeira e sorriu... zombou...festou..
E eu? Fiquei sem tempo de dizer...
Que o que mais importa é amar você...

Meu amor, meu amor, meu amor...

k.t.n
03/02/2008

Nenhum comentário: