sábado, 26 de outubro de 2013

Amor

E me dou amor 


Seja do jeito que for  

Amor Enlatado,

in vitro Engomado,

passado Amor, 

amor Amor com dor
  
Com passas Alho e óleo 





Massagem Peito e egos  

Fronteiras inescrupulosas 



Na rede, na rede 

Amor,

amor Condensado 

chega ao leite  

Respinga no seio quente 


Embota os sentidos  

Acalma Chafariz 

gotejando Amor  

Todo amor

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Daisies



Margaridas, 


Dentro delas há um sol misterioso,

Profundo e humano. 

Simples na graça e bondade que inspiram. 

Ternas e alegres. 

Repetem-se aos pares em seus pedúnculos

E nos sorriem, 

Timidamente, como meninas

Vestidas em suas jardineiras dominicais.


k.t.n.&

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Das delicadezas!



Adoro rendas, sutilezas! 

 Belezas!

 Raras, infinitas pequenas! 

Par de esmeraldas! 

Janelas espraiadas! 

Mar assombrado

Correndo para longe,

Deixando nas vagas 

Conchinhas na areia! 

Estas ímpares e sem par, 

Contar, contar... 

sair, 

navegar, 

Pedras de anel e colar!

k.t.n.&



domingo, 13 de outubro de 2013

No limite!

Cansada... muito... !

Limite, limite, limite... tem vez e voz!

O outro tem o seu lado!

Limite, limite, limite, tem voz!

Tem paz e voz!

Voz e paz!

A lei do limite é a lei do silêncio!

Limite, limite, limite!

Se não pode beijar, deixe a cusparada!

Não no chão, não quero limpar!

Sujeira pouca é bobagem!

Limite, limite, limite! No limite!

Do chão, do avesso, limite!

Cansei!