sexta-feira, 23 de março de 2012

Paridos

Filhos paridos, filhos partidos.

Sentimentos profundos,

Saudades e imensidão nos olhos.

A procura da poesia esvazia este sentimento.

Embora o peito continue cheio deste lamento.

Onde o tempo e o lugar se fundem?

Onde a travessa de ondas que refluem a um mesmo lugar?

Esta fragilidade egocêntrica, este laço umbilical,

Náo quer se desfazer, um trato maternal,

... amor filial!


k.t.n. in fluxo

sábado, 17 de março de 2012

Ao que se foi!

domingo, 18 de Setembro de 2011

Alguém faz a curva no longe das vistas maternas cansadas, em olheiras profundas.


Atira-se à vida e pertence à esfera concêntrica da inevitável:
_Volta ao pó que tudo voltará!


E marca olhos pretos profundos em malha azul celeste, em terra de luz e marrom.


E espera com sofreguidão o minuto mágico de adentrar o chão, lançar sementes.


Entregar com patente, sabe...

Foi assim, levou um tanto de mim.

k.t.n.*

sexta-feira, 16 de março de 2012

Frenesi*&

Se não escrevo, enlouqueço.
Se não escrevo, adoeço.

Viva Fernando Pessoa,
Que sabia das coisas!

k.t.n. in ritmo frenético

Fome

Se esta fome me deixar, comerei!
Deglutirei!
Entornarei goela abaixo,
Tamanha lista poética.
Tamanho texto/prosa.
Tua língua fina apontando lápis.
A forma esguia ditando normas.
A portuguesia e toda freguesia.

Seremos fome, seremos saciados.
Seremos homens, mulher e homem!

E na fome saciada, o sono vencido,
A cama, a varanda, a rede, o torpor.
O sonho sorrateiro espreitando
A hora de entrar, colorido.&*&

K.t.n.&*

quinta-feira, 15 de março de 2012

Esquecimento


Esqueci-me quem era,

para me lembrar-me de quem sou!

k.t.n.*

sábado, 10 de março de 2012

"Pequena mensagem"



Amigos vão, amigos vem.
Amores vão, amores vêm.
A mágica da vida.
A mistura, a possibilidade.
Heterogeneidade no caminho.

k.tn.*&

sexta-feira, 9 de março de 2012

Amora


katia torres


Eu sou lilás, o mundo é lilás, aliás é isso que é.

Uma força transgressora, possuidora e emerge.

E tange os fios finíssimos de aroeiras pelas estradas.

Pertence ao lago, ao mago, ao fato.


Uma eterna dica de prazer contido, no fazer benfico.

Na estrela matutina e vespertina, lilás, lilás, tanto faz.

Colho a planta, teço a fazenda, visto o manto.l

É assim, aliás, é isso que é.


Lilás, lilás, lilás, aliás, lavandas e alfazemas.

Mas nada de alma pequena, atravancada.

Há de estar solta, leve e livre.


Levando nos contornos colibris, bem-te-vis.

Verão pleno e morno o contorno.

Torna a cor, torna o vinco dos olhos, lilás, lilás, tanto faz!!


k.t.n.& in cor.amor.

sábado, 3 de março de 2012

Branco e Vermelho

Sou este contraste.
Este vermelho e ester branco.
Brando e forte.

Vermelho e febre.
Solidão e multidão.
Sou eu.

k.t.n.*

sexta-feira, 2 de março de 2012

Paranormal




Que este Sol paranormal, deixe-me sempre igual/

Envolva as serestas verdes em violinos queixosos/

Revolucione os preguiçosos/

Deite as cabeças em assoalhos./


Muito malho, muito malho./

Que este Sou além do genial, deixe-me sempre diferente/

Para além do egoísmo, do olhar umbilical./


Deixe-me, deixe-me, deixe-me/

Em profusão astral, nada assim, fenomenal./

Um pouco de cal, cálice, vinho e tal./


Uma imagem, um torpor, nada mais.//


k.t.n. in pressa



Kátia Torres Negrisoli

katia torres

Vestes minhas vestes veludosas
Acarias o pêssego do meu rosto.

.

Verte na taça o vinho maduro,
Elabora a receita familiar.

.

Serve e degusta,
Este verso está só começando...!

k.t.n.*&