domingo, 27 de maio de 2012

Jardins de Barbie





‎*Às verdades que não se escondem em belezas fartas,
*em jardins de Barbie,
mas afrontam o seu próprio eu, ao se desnudarem de vaidades!




k.t.n.*

H5O





Tequila - àgua - Ice - red-hot - vodka

k.t.n.*

Jardins




Breve tempo de falar de jardins e casas, de roças e sertões.

Leve alma que penou cansada e fatigada parou na senzala e no porão.

Neves intensas caíram em trópicos avançados pelo Sol.

E da janela vazia as folhas jaziam inertes, caídas pelo chão.

Foram varridas pelo vento.

Encostaram-se, fermentaram, adubaram.

A circularidade visível, tangível na vida circense.

Florificaram.

E o jardim de imenso, coloriu-se.

Cobriu os galhos retorcidos que insistiam em ultrapassar o gradil.


//k.t.n. in texto inical.

Para Voc^!//

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Espelhos partidos enluarados


Há uma hora em que a poesia pede mais. Obedecemos. Contatamos a memória esquecida. Recortamos espelhos refletidos em sismológicos pedregulhos. Removemos pedras ao galgar montanhas. Chegamos ao cimo. Em cima da hora. Despendemos os pendúculos e raízes mortas. Fincamos tenros poemas nas vias tortas. Refazemos. Isto é lição e não foi de casa. Quimeras de esquinas. Refletidas na lua cheia que embalsamou os cheiros da noite. Entregou ávida as essências voláteis. Aquiescência. Quilates. Prata em decadência são teus ouros pendentes. E um jardim chora. clama. chama. Hora da poda!

k.t.n. in ensaio.

Espelhos




*.alguns dias nos encontramos. nos espectros espalhados. nas lembranças dissolvidas. enormes espumas. fractais. o raio solar . raio lunar. cíclico poema. concêntrico enormes esferas. plenas. amenas. apenas, fractais. jaspem aqui.
jadem ali. permanecem onde nunca foram, ou partiram.


k.t.n. in pedaços.8

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Álisson e Fabrício






E te dou, meu filho, todos os poemas e alfazemas,
as fazendas poderosas das rendas de amor!

m@m@

k.t.n.*

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Leves Dálias


Leves dálias, ... levo dálias.

Dálias diárias.

Centenárias.

Coloridas.

Patéticas.

Tão, formosamente, dálias.

Torcidas no vento.

Alegres ao firmamento.

Sorriem e se esticam.

Tornando-se, somente, dálias.

k.t.n.*

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Dia de Superlua

 Dia de Superlua

A lua é só a lua, não é mais nada!
Azar dos poetas e das crendices.

Mas só empoeira vidraças de enamorados.
Não colore a ninguém, nem esparge vinténs.


Danada Lua é sombria e sorrateira.
Esconde-se em nossas fantasias.


k.t.n.*