terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Curiosidade// Torquato

A curiosidade grassa por toda parte. É uma desgraça infinda... é o livro da vida, é o livro principal em páginas menos originais... é algo antigo, que desbota e 'refolheia', onde não deveria estar,,, é algo sem graça,,, vira, vira,,, mais à frente a hora esperada ... chegada... chegada... chegada... sem partida... só idassssssss... vira, vira, vira... ¿ ? ENCONTROU?? ACHOU?/ ACHOU-SE?? VIRA, MAIS, MAIS,... SEM PRESSA... EIS O SEGREDO... ENCONTRE A PÁGINA CERTA, FAÇA A SUA MARCA, REGISTRE, ,,, ,,, ... ,,, ... ,,,

"Escute, meu chapa: um poeta não se faz com versos. É o risco, é estar sempre a perigo sem medo, é inventar o perigo e estar sempre recriando dificuldades pelo menos maiores, é destruir a linguagem e explodir com ela (...). Quem não se arrisca não pode berrar."

(Torquato Neto
)

Para no perder la ternura,,, jamás....

¿Dónde está Torquato?
Dentro de algum quarto
Trancado
Sem eira, nem beira,
Sem sono, sem sonho

Sem nada, no vácuo??


***


Com balas embrulhadas
Balas embaralhadas
Balas atiradas
Ao redor de quase nada
Na rua de São Paulo
Sem horizonte
E sem fuzil.

27/03/2008

No coração de um país..
Que se chama Brasil....

Queria ter um dia de marginalidade
Meus dias marginais foram muito cruéis
Meus dias marginais foram mais intensos, que o maior dos frios das pontes e viadutos paulistas.
Foram dias em que tudo se perdeu
Em que um pouco da alma morreu

Nascendo em novo eu.

Quem sou eu?

***
27/03/2008

Nenhum comentário: