terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Para você!

[Sem título, sem jeito]

Abaixaste a cabeça.
Denotaste evidente fraqueza.
O que é de adulto?
O que é de palavras?
Não sabes, não sabes, não sabes...

Ocultas a tua face, os ombros não sustentas.
Nem em páginas, nem em holofotes.
Perdeste, sem resgate.

Estás a deriva, qual a quota??!
Prestes sem auxílio.
Debates em vão, enroscaste nos seixos.
Sem jeito, sem jeito, sem jeito.

Deste o meu mais novo mote.


K.t.N.

18/11/2007

Cintila em verbo
Cintila em cores
São vãos amores
São lágrimas
São escuridão
É ternura,
É paixão
São seus olhos
Na multidão!!
k.t.n


Seu rosto

Seu rosto que os olhos iluminaram
Passaram de frente.
Fixaram-se!

Suas palavras, que meus dicionários
Não codificaram
Ficaram impressas nas paredes
Seus cabelo, nas mãos sempre um pouco
Nos traços, nas bochechas
Sempre um gosto

Você na parede encostado
Um ‘bom vivant’
Sempre um cuidado.

Bebida atroz que embriaga, alucina
Águia veloz
Que verte ao rio, com gosto da geladeira.

K,t,n,,,

28/01/2008☺vC. Pensando?

Pense em algo lindo.
Pense em você sorrindo.
Pense criança dormindo.
Pense na paz do caminho.
Pense no rosto anguloso.
Pense florestas, seu moço.

Pense reservas frutis.
Pense morenas gentis.
Alouradas pelo Sol.
Aglomeradas em arrebóis.

Pense um homem crescendo.
Pense no leite fervendo.
Pense na vida pulsando.
Pense! Somente eu...

Estou amando...
São verdes vestidos.
Azuis sexto sentido
Amar profano
Um grande encanto!

k.t.n.

22/04/2008



Nenhum comentário: