domingo, 21 de outubro de 2012

Mar de Concha


Com teus ateus e sem adeus. o meu sol brincou no varal. trouxe promessas antigas. douradas feitos grãos de milho do avesso. pinicou nas mãos. mas não sangrou. Antes singrou mares.mas o branco das velas grudou nas caravelas e foi. E foi e voltou. E voltou e foi. nas ondas do mar bravio. e contou das idas e vindas a todos esta boa nova. E cantou no ouvido a canção maior. ventilou nas ideias fatos. amor. contou. dançou. rodopiou. roda-pião gigante bem pertinho das palmas da minha mão. roda incessante num grito meu. neste mal ateu. que somente anjos meus compartilham e divisam. grito esférico longínquo atravessando marinas. cortando ondas o batel. bate redondo. pontiaguados meninos. sarando feridas o Sol em águas brancas de brancas cortinas, roupas espraiadas no varal./ 

Assim,

 

Assim foi o Sol e Ceu, o Ceu e Mar. o antes previsto e indivisível adeus permutou. acabou a dor. o navio singrou. as roupas desceram do varal e vestiram a menina. um Rei sonhou!

Kátia Torres Negrisoli k.t.n. * in mar de Concha.

Inspirado no poema de Concha Rousia, poeta da Galiza.


Domingo ateu

Devo fazer trabalhos físicos. Lavei minha roupa à mão, botei minha camisa-de-noite e meus brancos lenções a arraiar, pra que dêem a cara, lembrando as palavras da minha mãe... deito eles sobre a relva do quintal e faço nascer a noite na casa da joaninha, depois estenderei-os entre as árvores para que enjuguem, e sou consciente de que irei desfazer a casa das aranhas... Tudo que faço tem efeitos colaterais, mas pelo menos não deitei lixivias no ventre da terra e não assassinei o futuro desses bichinhos e nem o meu... E agora contemplo como o sol faz bem o seu trabalho, ele, meu grande ateu, trabalhará todo domingo, o dia todo.

Concha Rousia
Quintal d'Amaia 21 do 10 do 2012

2 comentários:

Concha Rousia disse...

Kátia minha amiga, que lindo vc vincular nossos textos, ficou bacana, como adoro conexões poéticas, beijos desde além-mar.
Concha

Concha Rousia disse...

Kátia minha amiga, que lindo vc vincular nossos textos, ficou bacana, como adoro conexoes poéticas, beijos desde além-mar.
Concha