segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Cinderela sem cristal


Quem roubou meu sapatinho de cristal/
Quem fez bota etc e tal?
Quem o colocou abaixo à cristaleira/
Bem no canto, ao lado da goteira?

Quem mo fez desengonçado torto e feio?
Quem traçou elementos desairosos/
Quem levou o fino trato a meia de seda?
O fio trançado nas seivas da soleira?

Quem deixou atrás de si rastros empertigados?
Quem levou o número exato e deixou trocado/
O meu par tão certo a andar a pé//
Desandou afrouxou laceou escorregou?

_Quem foi, quem foi?
Põe aqui na minha mão
O pequeno transparente
Sem rastros de poeira
Põe na marca desta palma
O trajeto descuidado
Já desfeito em meu cuidado.

k.t.n.

Nenhum comentário: