sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O homem dorme

O que ai de mim neste momento?
Fuga, arte e pensamento?
Não sabemos.
Todos tolos estamos.
A ideia do que passa foge
A permanência se esgota na passagem
O que era saudade se diluiu
As águas fugiram pelo rio
E o que ficou?
Um vento soprando ao longe,
O relento na madrugada morna
A viração no cais
O rio, grande rio que segue
A cobra d'água e o olho
Furacão se aproximando 
Um homem dorme
Uma mulher passeia
Crianças brincam
Bonecas sorriem
E neste ai e outros esgotamento
a menina do bordado perdeu a trança
a brisa refresca a memória
Naus atravessam oceanos
Ideia inacabada e aventureira
Um homem dorme
Uma menina passeia.
A flor cai.
k.t.n.in cais.

Nenhum comentário: