quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Gasto



Tudo tem um tempo
O tempo está em tudo
Absurdo temporal
Tempo de cartas marcadas

Infinito tempo sorrateiro
Espreita a avenida e a rua
Torna atemporal ligeiro


Tudo tem um tempo
O tempo está sem tempo
Sem tempo de reflorestar
Tanto tempo e nada
Tem tamanha pressa
Deste silêncio despertar


Tempo compassado
Ligeiro bem marcado
Traz no bojo empenho
Quase nada a ofertar
Bobagem deste tempo
Teimoso absurdo gasto
De tempo em tempos primeiro


Antes que se perca tempo
Termina esta canção
Toma a taça inteira
Gim, tomate e chimarrão
Na pressa do dia inteiro
Muito sim e tanto não.

k.t.n. brincando de tempo

Nenhum comentário: