sexta-feira, 25 de novembro de 2016

VidAcalma

A vida que acalma a vida.
Há vida que acalma a vida
Há olhos intensos nesta chama
Um pedaço de mim em ti passeia.
Uma cama, mucama, incendeia
Ojeriza ao nunca dantes visto
Um poeta cruza o muro
O arrebol espreita
Tormentas quebram-se na areia
O aprendiz se move.
A faca treme-lhe nas mãos.
Um poeta dorme,
O mundo cochila
Ventania encomendada
Lavando almas roubadas
A minha pressa não te chama
Tenho olhos que não se prendem
Metade de mim sente
A outra pressente e dorme.

Nenhum comentário: