sábado, 17 de setembro de 2016

Crisálida

A crisálida ousou mais do que podia
Borboleta voou... triste sinal!
Breve a vida.
Vida leve,
Pousou em flores, volteou, perdeu-se.

Subiu ares pousou nas montanhas
Farejou o pólen, as hastes, os pecíolos
Antenas ligadas.
Desligadas apenas
Foi-se assim, como um cordel encantado. (conto)

Deixou a saia da menina rodada.
A alfazema intocada, bordados!
Asas tênues
Rosadas asas
Entregou-se ao destino, sumiu no destino.

k.t.n. in borboleteando

A crisálida ousou mais do podia
Borboleta voou ... triste sina!
Breve vida.
Vida leve.
Pousou em flores, volteou, se perdeu.
Subiu ares, pousou nas montanhas
Farejou o pólen, as hastes, pecíolos
Antenas ligadas.
Desligadas apenas.
Foi-se assim, como um conto encantado.
Deixou a saia da menina rodada
A alfazema intocada, bordados!
Asas tênues.
Rosadas asas.
Entregou-se ao destino, sumiu no destino.
k.t.n. in borboleteando

Nenhum comentário: