sábado, 21 de novembro de 2015

Inversos II

Planto uma semente e espanto o tempo!
Planto uma planta e espanto a semente.



No chão e na terra, piso a performance.
Do plantio correto e da terra fertilizada.




Escoo os excertos de lamentos.
Escorre a água na terra arenosa e drena,


os sonhos, o menino, o pedaço de céu,

da árvore e dos arrebóis.


Reclama o Sol.
Digita a Lua.



Hora de dormir,
Vicejar o verde dos nossos olhos.


k.t.n. in trégua.

Nenhum comentário: