sábado, 10 de outubro de 2015

Silêncios ensurdecedores

 Há silêncios que ensurdecem.
Terríveis em gritos.
Ódio aos silêncios perversos, premeditados.
Ódio ao que fecha a sua boca na soberba e no orgulho!

Estúpido o homem que se cala em demasia.
Verme rastejante observador das falhas alheias.
Bem-vindos os dotados de línguas cheias,

saboreiam salivas,
cospem sílabas,
compõem hinários de palavras!
Sejam chucros, ou dotados,
douram no palavrear
o gosto soberano da vida!
Bendita palavra!

&@&$

Nenhum comentário: