sábado, 17 de janeiro de 2015

Rasgando

Vim para rasgar.
Colocar o pó no ar.
Definir o meu lugar.
Entestar o meu papel.

Não gostou desta lembrança?
Lambe pó, rasgue sabão
Quem manda em mim sou eu!
E bem livre desta prisão.

O ar rarefeito escasseia.
Na divertida troca de trato.
O feio se esbalda em testas.
As minhas sem rugas dobradas.

Quem manda em mim sou eu.
Cala boca já morreu!
Je suis Charlie em Maria.
Kátia em tarde Adamantina.

k.t.n.*&

Nenhum comentário: