segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Furor

Preciso do furor das palavras.
As santas caem.
As honestas e profícuas raras.

As palavras acertadas e desonestas.
Que furam e perfuram espelhos tonteados.
Há a dúvida da lei e da espécie.

Mas palavras são palavras.
Não precisam ser maquiadas.

k.t.n. in verso legítimo

Nenhum comentário: