quinta-feira, 26 de junho de 2014

São João


Destas flores descontinuadas que pontilham imensos cabelos
Enredados em anelados dedos, fervem tulipas e orquídeas, 
Cada qual no seu lugar são flores de Primavera 
Brincando no Outono resistem as intempéries, ventos, pensamentos. 

As cores profundas navegam em navios sem âncoras. 
Despedem-se as corolas, as sépalas e as pétalas. 
O entorno não apresenta folhas, já caíram, muitas em vãos. 

O outono despediu as flores. 
As risadas vazias e ocas sussurram ao ouvido mais fraco. 
Uma música. Triste e melodiosa. Vazia e vazante. 

E o homem acorda, pega de um violino e tamborim, 
Faz um samba sem fim. 
Espera a próxima primavera em paz!

 *Viva São João, São Pedro, Santo Antônio não!

Um comentário:

Amor em Vermelho disse...

Uma poesia maravilhosa! Parabéns, Kátia, pelo seu belo Blog!