quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Levada da breca


Quando menina, era levada, sapeca
Fiquei moça, dondoca, um pouco esperta.
Mais moça ainda, casada, acertada.
Passaram anos, alguns anos, levada da breca.

Cabelo encanece, cai e estremece cutículas.
Levo mais de uma hora para espremer uma laranja.
Meio-dia é cedo para tanta bobagem.
Preciso urgente remover maquiagem.
Onde está o homem que me deve a viagem?

Partiu, navio, sem fio, nem mastro, ou fuzil.
Deixou melancólico a vela do Brasil.
Voltou estapafúrdio e negociou com mais de mil.
Assim acaba a História, da moça velha.
Num país Tropical sem igual.

k.t.n.* 

Nenhum comentário: