Lavanda tu!

Esparge o perfume da lavanda/ Leva tua alma longe/ Onde os cativos não podem se empenhar/ Banhe-se neste perfume insone/ De celebrar a vida na calmaria/ Contente-ta com a porção que te cabe/ Homem, mais do que tudo és criança na Terra/ Ela devolve em astrolábios exatos tons carmins/ Sangue de veias e artérias/ Presilhas presas nas paredes/ Afago e quentura, abraço e ternura. 


k.t.n.* in treino matinal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A festa

Sombra de eucaliptos