quarta-feira, 31 de julho de 2013

Natureza



  •  Respeitar a Natureza, respeitar-se/tal é a lei/ 
    Teus cabelos meus segredos/ 
    Atingidos por um raio/ 
    calado/
    mal-falado/ 
    desatino.
  •    
    Respeitar a Natureza dos encaracolados,
     nem bem, nem mal. 
  • Gostar-se, antes de
    Decidir-se como se apresenta. 
    Sem enganos no espelho.
  • A alma vibra, a casta cai. 
    O mal de ontem é o bem de amanhã. 
    Quiçá a vontade pudesse. 
    Ela não pode e enrubesce.
  • Tal a Natureza, tal o homem. 
    Indivisível em sentimentos, 
    tormentos, saudades e lamentos. 
    Existe e é fato. 
    Compreende e avalia. 
    Entende e divide. 
    A soma ficará para amanhã, 
    quando acordados entrelaçaremos a alma. 
    Divina e infantil, sem juízo e juvenil. 
    Ri e goza.! 
    Antevê o desgosto. 
    Afasta-se. 
    É promessa.
  • Àquele que crê domar seus intentos, 
    seus cuidados,
    seus encaracolados,
    no salão da beleza, fica vão.
  • O liso escorrega, a cachoeira leva, 
    os cachos sinceros inexatos
    os mais certos e procurados. 
    E amados, 
    pertencem à Natureza.


  • K , in breve ensaio das almas.

Nenhum comentário: