segunda-feira, 22 de abril de 2013

Planeta

Acordar com o amor!
Na preguiça dos sentidos
A não pressa,

o esquecimento.

O dar-se aos minutos,
Ao movimento uniforme

do Planeta.

Jogar-se ao ritmo,

A alma enclausurada pede.
Cansada

Atropelada  noutros tantos,
ruidosos, gritantes.


A flauta chora a falta de calma.
Enamora o olhar
Em seu ritmo precioso
De bambu sonoro e

rústico.

E a busca.
Além.
Aqui.
Perto.
Em nós mesmos.
A sinfonia inolvidável
Da melhor letra.

a m o r


k.t.n.&

Nenhum comentário: