Garganta

Destoei minha garganta, rasguei o verbo, pus apelido.
Agora revolto-me
Para as fronhas do meu quarto
E durmo o sono dos justos.

k.t.n.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trovinha de querer bem!

Teu aniversário