sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Sementes em trilhos de pedras

Diligente entre plantas semente eterna.
Perfaz líquidos e elefantes diz-se ligeira.
Encanta artíficios nada subterrâneos,
Pois sobe ligeira a tua testa e têmporas fatigadas.

Há uma noz inquieta e perfumada derrumando líquidos
E fluídos esparsos.
Espessas gomagens tardias levou consigo dias.
Fatídicas esperanças.
Alcançadas em favor do outro.
Levou o brilho a ferro e fogo.

Trata-se de afeto raro em trilho de pedras.
Fantástica feição de primavera no ceu de abril.
Uma sintonia dissonante.
Alfaces tenras quebrando a boca.

k.t.n. in primeiro  poema de 2013!

Nenhum comentário: