segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Espiral

É só isso que quero: ESCREVER.
Jogar palavras fora
p
e
l
o
  vento.

Sentir todas no peito.
s
a
i
n
d
o
   INTEIRAS.

Vertendo nova face.
Maturidade,

Tenra idade.

E na foice cortar o teu sentimento.

Cortar tuas asas.
Bastar o teu lugar,


Nem santo nem sacrossanto.

Uma esfera sentinela.
Olha-te,
Rubra.

Ruboriza e se afasta.
Imediamente,
Retorna.

e
JOGA o limo da chuva
n
a
Boca espiralada da mulher chinesa.

Assim,
Acontece.
Uma prece.

k.t.n. in ensaio.

Nenhum comentário: