quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Saudades





O que faço com esta saudade do tamanho do mundo?

Saudade dos filhos, dos que partiram, das manas, 

dos sobrinhos, dos sobrinhos-netos, 

dos amigos do face que nunca vi, dos amigos do face que já vi, 


de alguma poesia, 


do que veio para o amor, 



dos poetas poeta poetas... !



 Saudade intensa que remoi o peito, faz as pálpebras pesarem e quererem o sono reparador. 

Saudade de mim mesma e de todos os mins que me compõe.

Das flores e imagens, das palavras feias, das bonitas,



 de Melbourne que nunca vi, de Portugal e do quintal de Concha Rousia Apresentando Nântia


dos cafés de Curitiba que sonhei, saudade de não ter saudade!



Saudade das músicas todas ouvidas, numa orquestra louca em minha boca.

 Das faces perdidas no espelho, do branco de minh,alma confusa, dos olhos caídos e pensativos, dos brilhantes e cantantes.

 Da vida, da festa! Dos cantinhos. Do tricô. Da leitura de romances. 

Da piscina. Dos passeios de bicicleta.De tomar sol e pular na piscina.



Saudades domingueiras. 
Dores passageiras saudades são.

k.t.n.*&




Nenhum comentário: