segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Abuso


Não posso mais me pertencer,

Preciso fugir de mim.

Encontrar a raiz quadrada.

Pálida, esquálida, inatingível.

Não se pertence, vive-se.

Ou não vivo mais em mim?

Onde estará a essência lógica e vital?

Tão contraditória e tão imensa?

Simples assim fugir.

Mas não posso mais,

Fugir de mim!!

k.t.n. in abuso*

Um comentário:

Katia Naegelle disse...

Olá Kátia! Fugir de mim! Texto que nos leva à reflexão. Imagino o espírito dizendo: -Espera um pouco que eu já volto! Enquanto isso arrume toda a bagunça e quando eu voltar quero me sentir mais leve! É a minha imaginação reinando!(risos) Adorei o texto! Parabéns! Um lindo dia pra ti!Beijos no coração!