sábado, 12 de novembro de 2011

A que te espera.

Eu sou a mulher que amanhece, a mulher que anoitece.
A que te espera.
Em graça e contentamento, alegrias sem fingimentos.
Emolduro o teu rosto e intensamente recolho teus olhos
Dentro do colo maduro.

Avanço o braço, encolho o passo, há cadeiras.
Levanto a brisa, recheio a testa, enobreço.
Esqueço.
Parto e chego junto a ti.

k.t.n.* in auspicioso

Nenhum comentário: