domingo, 17 de julho de 2011

Palh@

E me transformo e retorno ao bom, oficial, original.
As palhas queimam e libertam o ar sufocado das poeiras febris.
O corpo treme e geme de alegria e libertação.
Das verdades postas a nu tão gentis.

É um mistério esta alegria com tristeza esta beleza toda entrecortada.

Onde o sussurro? Num tempo que se vai ...

Onde a espera? Num lugar que se dissipa...

Onde a tormenta? Num mistério que não se justifica...

E assim passa, e assim vai... esta a graça, este o encanto.
A vida pulsa, os pássaros fazem a festa, oportunidades se abrem
São leques, são esteiras, são meninas em rasteiras.
A verdade nunca geme! Urra e não treme!!

k.t.n.*&

Nenhum comentário: