sábado, 18 de junho de 2011

Plenilúnio

♥♥.A lua rota e indiscreta parte-se em dois unilaterais
perpetua teus azuis em mantiqueiras florestas abissais♥♥.
teus ais♥♥.e renova laranjeiras em flor, veste-se de púrpura
e pela cintura enlaça, embriaga, quadris ♥♥.juvenis ♥♥.lua
bárbara, lua sátira, lua ligeira mostrada nua, ♥♥.fagueira em
fogo brando o gentil do meu amor.♥♥.


E se mostra, novamente, no ceu, e canta hinos desesperados
de louvor ♥♥.e renova energias, corações, multidões, ah, se nões,
são luas de invernos brancas prateadas, em prantos clama ♥♥.
aos Sãos Jorges dos dragões feiticeira como é ♥♥. toda larva dos vulcões
♥♥.toda angústia dos amantes, tocada aos teus pés.


♥♥.È lua baça, é lua cheia, lua nova...........♥♥.coração bate velho,
compassado, está feliz.


Bate na porta, não entra, está escuro, está aberta, não aguenta♥♥.
Tanto temor, gemer com dor e se alimenta deste pudor e lua
fica presa no ceu. Despertará aos raios do primeiro Sol da manhã
♥♥. vertendo balões coloridos jaspeados de ardo-íris escondido,
nas retinas setembrinas que acordaram em plenilúnio de junho.♥♥.


k.t.n.♥♥.in rascunho

Nenhum comentário: