quinta-feira, 28 de abril de 2011

Saudade



A minha saudade te compreende
E espera
E fica
E permanece.

Na retina esmaece o pálido contato
E decide
E fica
E entontece.

E desmaia no azul dos teus laços.
E levanta
E anda
E inventa.

Outra saudade que surge, agiganta, incandesce.
Bobagem!
É só saudade.
Passageira.
Passou.
Não ficou!

k.t.n.*&

Nenhum comentário: