quarta-feira, 20 de abril de 2011

(homenagem à poetisa Kátia Torres Negrisoli)







Magia


Perfume de palavras em flor
Seduz com notas de bergamota e mandarina.
Teclado é varinha mágica,
Vivo como buquê de frésia regado a poesia.


Quer seja noite ou dia, o mergulho é alquimia,
Presente, futuro, nostalgia.
Tira mordaça do peito,
Da madrugada o sono, verso do silêncio.


No aconchego dessa fonte
Termina em ápice o canto colhido ao relento.
Pródiga luz profusa n’alma sem muros,
Ferida de estrofes em sussurros,


Ilimitada de radiância,
Poeta tece vento,
Borda alegria
Com dedos molhados de fantasia.


Stella de Sanctis

Um comentário:

Kátia Torres disse...

Obrigada, Stella!!

Or The Red Rose, dos lábios que jorram pétalas, da voz suave, feminina, sutil...

k.t.n.*