sábado, 29 de maio de 2010

Apaixonada

Assim vibra o meu coração
Assim colho os pedaços encontrados
Assim remonto a cena,
Crio novo poema.

Encontro seu nome, apenas,
Soletro as letras pequenas,
Em sílabas reconstruo a frase,
Logo em cena a sua face.

E permaneço em seu nome mistério
A letra secreta e irreverente
Àgil, pertinente, de 100 anos
Assim quero acariciar mãos plenas
De amor, de cheiros molhados, de novos cuidados.

Dos meles dos olhos, os sutiz desdobrados
Seu sobrecenho maduro, sua tez macia,
Seus dentes brilhantes, um homem, mar cante!

Nenhum comentário: