domingo, 23 de maio de 2010

Álisson,

Em teus olhos negros vi a paz mais doce
O encanto, a vida, a ternura, indescritíveis canais de amor.
Em teu rostinho bebê, o halo divino que nos uniu,
A promessa dos dias vindouros, a sabedoria de antanho no remanso.

Em teu suspiro, o aconchego da chegada.
_Estou em teu colo, mãe. Cheguei, de fato, para concretizar a alegria, a felicidade e a sabedoria de dias vindouros.
Teu tesouro precioso, teu menino, um tanto manhoso, teu pequeno-grande homem.

Bebi dos teus olhos, sonhei e velei o teu sono.
Viajei em teus lindos sorrisos, reconfortei-me em tuas fantasias de criança.

Pequeno adorado, pequeno amado, és meu amor maior, duplicado pelo futuro.
És a esperança, és meu tudo, vida plena, encontro e permanência, ímã-imanente, desenho longitudinal, paz e alegria, afinal.

mama.

Nenhum comentário: