quarta-feira, 7 de abril de 2010

As palavras***

E se me der vontade de poetizar, virei!
Com você, para você, ou sem você.
Se me der vontade de descompôr as palavras,
Sobre você, por você, apesar de você,
Virei!

E nesta insanidade premeditada, direi:
Com as palavras pensadas, com as palavras jogadas.

Rimarei.

Ou não rimarei.

Não importa!

A verdade é a necessária e valorosa amiga.
Das crianças e das Santas poetisas.
A vaidade das palavras traz a vida.
Em sabor, em lavor , deveras amor.

E se me der vontade de poetizar virei.
Ainda, se me der vontade de sonhar, concretizarei.
Do sonho a maior verdade é o inexato.
Do consciente o maior desejo é o incontido.

Da força das letras, o grande encanto,
É esta necessidade premente, de fingir docemente,
Que esta saudade que se sente é gentil e companheira.

Por isso, se me der vontade de poetizar virei.
Para não estar só, trazer você comigo, um trato antigo.
Uma vontade nova.
Uma rosa vermelha de anos, e um desejo novato de instantes.

k.t.n.
in sono...

Nenhum comentário: