domingo, 7 de março de 2010

Lance

Joguei as flores
Lancei-as todas fora,
Empoeiradas, sem graça,
Desfolhadas,
Caídas,
Penitentes.

Lancei-as ao vento.
Soprei todos os sentimentos.
Arrumei o verde vaso,
Com novas sementes,
Com novas cores
De vermelho intenso
Salpicadas de dourado,
Pululando ao luar
Que penetra pela fresta,
Da janela que deixaste entreaberta!

São vermelhas,
São douradas
Lindas e arrumadas.

São dias de Glória, logo após o choro convulso.
São almas agrestes, pulando o muro, vindo te ver.

k.t.n.
2009

Nenhum comentário: