segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Às irmãs...

Irmã de alma,
reconheço a sua palma
reconheço o seu enleio
enlevo-me em puro amor.

Irmã de alma,
reconheço quando chegas,
entristeço-me quando partes,
navegam meus olhos tristes dores.

Irmã de alma,
é tarde, não se vá.
Tão cedo para partir,
figura séria sempre a sorrir.

Irmã de alma,
o desvelo guardo um tanto
do suor gastei o meu pranto,
o meu dizer aqui reguei.

P. vc. presente d'alma.

k.t.n.

Nenhum comentário: