segunda-feira, 7 de setembro de 2009

7 de setembro, sem toques de tambores

Minha terra tem palmeiras, tem caju e manacá
Pés de jaca, maracujá, muita gente é o que há.
Tem pré-sal, pai sem açúcar, presidente e "menas laranjas"
Um povo esguio, asmático e assovio.

A preguiça da verdade na mentira que passa lá
Tudo é mais cor e mais amores...
Com muito dengo, cortesia e esperança
LÁ não conheço, do pouco que sei
Há grosseria, gestos dissonantes, contradições, pavilhões
Foi o que vi.

Cá é o meu lugar, cá tenho que ficar, um dia lá
E hei de resgatar esta tal integridade
Que ficou em própria indignidade.

Minha terra tem palmeiras muito cá cátias há.
Tem passeio de bicicletas, tem Martim, Iracemas,
Bolos, festas, serestas, violões e canções de gestas.
Tem Moacir, sofrimento, a loira afoita e a morena casta.
Tem a inversão sadia, muita tristeza e muita ALEGRIA!

K.T.N.

Nenhum comentário: