sábado, 7 de março de 2009

Beijo


Beijo-te com ternura, paixão e gostosura.
Menino vadio de sol forte e travessuras.
Coloca o boné, levanta a campina, atravessa a soleira.
Há espreitas primeiras, em porte de fitas, em mais alta finta,
A sondar-te entre as frestas, em noites, serestas.

Beijo-te com a voracidade do ladrão, a disposição de um leão,
E a tenacidade de garoto principiante escorrendo entre-dentes,
A paixão, viva-emoção de largar os cuidados, de deixar os venenos
Entorpecer a razão. E não te beijo e não te digo, somente rezo.

Porque amanhece nos trópicos e o suor enlouquece.

k.t.n.

Nenhum comentário: