quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Passeio outonal/ Obrigada, Fada!



























D.A.



Passeio outonal


Hoje cantarei os frutos da caminhada.
Os saborosos, os amargos, os melífluos, os exóticos.
Tudo o que me deste, todos os que deram.
E são muitos e são tantos, que me embalo em doce canto.

São maduros, generosos, fartos, nácar em polpas.
São teus olhos, são teus braços, os afetos e as passagens.
A chegada, a virada, a parada. Examinar!Constatar!
Alegrar-se!Meus frutos, nossos frutos. Fartar-se!

A fotossíntese e a clorofila, os filamentos, a tarde, o fim do dia.
Pedalando e parando, acoplando os pés em densa grama.
Adensando o corpo em extensos planos, colorindo as flores.

Então, assim ficamos; das flores que vieram, os frutos que ficaram.
Com Cecília, com Peri, sem fantasmas, sem longas viagens.
Pequenas paragens, eternas dormências. É colheita. Assim canto:

_Imensa paz!

K.t.N

//Por Suriel//

Preparando palavras,
propagando pedaladas,
desnudando: peladas!

Dispensamos assim,
máscaras e trejeitos tristes,
fantasiamos: sonhos.

Fotos,
flores,
frutos,
fitas de cinema,
síntese:
colheita de percepções.

Suriel Bonnet Fayad.




Nenhum comentário: