domingo, 23 de novembro de 2008

k in festa





Das rosas

Rosas que exalam intenso perfume,
Que trazem, em seu interior, textura e lume.
Brancas, pálidas, cerejas, rosadas...
Amarelas, vermelhas, rubras, cobertas de gotículas.

Rosas de ser mulher, despetaladas, aureoladas.
Não são, simplesmente, rosas!
São risos, são motivos de festa, são sisos, são momentos serestas.
Esperei as rosas, ganhei as rosas, despetalei as rosas, ajeitei em prosa.

Amasso nas mãos, a sentir a pelúcia, concentro em idéias,
A alteza representada, a candura plantada, a dificuldade dos espinhos.
A magia e a ventura de se postarem em galhos, ora distantes, ora próximos.
Mas sempre rosas errantes, sempre, do nosso olhar, rosas repousantes.

k in festa// 15 de nov.//

E "viva la vida", ... é dura, tal qual diamante... e brilha...!
Transfere para a eternidade, transporta, faz pontes...!!


Um comentário:

Fada do Mar Suave disse...

Caminhar pela sua poesia é encher o coração de alento e magia.
Fantástico!!!