segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Dos filhos...

Dormindo

Os filhos dormem
Deitados em carteiras
Apontam para a alma
O boné de marca
O tênis da hora
A pulseira de prata.
Estampam em seus rostos "piercings"
No corpo tatuagem
Marcas d'uma sociedade
Dispersada em sua base
A brincar com a imagem.

As mães trabalham
Os pais se ausentam
Os filhos dormem...

As cidades crescem
O capitalismo verte
Nas veias a cruel
Do descaso a panacéia
Da conquista de mais um dia.

Celular último tipo, resta
O toque inexistente
A chamar um pouco a gente
Pra ver se inda se presta
A chamar de filho seu!

k.t.n.

23/04/2008

Uma criança pode sorrir.
Um adulto pode chorar.
Nossa mão não deve negar,
Tanta massa a modelar
Tanto trabalho por fazer
Tanto amor ter que dar.

Uma criança pode chorar....
Um adulto pode sorrir.
No entanto, no talhe da labuta
O seu canto o seu jeito é tanto.

Nossas crianças devem sorrir
Os adultos não devem chorar.
Vamos brincar de roda, brincadeira
de imaginar.

Nenhum comentário: